Mesmo com salários de até US$ 100 mil por ano, faltam 80 mil caminhoneiros nos Estados Unidos

por Blog do Caminhoneiro

O CEO da American Trucking Associations, Chris Spear, disse em uma entrevista recente que a escassez de motoristas de caminhões nos Estados Unidos está atingindo números alarmantes. Atualmente, são necessários 80 mil novos caminhoneiros para preencher todas as vagas abertas no país e o número não para de crescer.

O executivo também afirmou que o número já é 30% maior do que o registrado nos meses anteriores à pandemia (antes de fevereiro de 2020). A afirmação veio seguida da informação que muitos caminhoneiro tem deixado a profissão em busca de melhores salários, mais benefícios e condições melhores, que não podem ser obtidos na profissão de caminhoneiro.

Apesar da remuneração ser considerada boa para quem vê de fora, o trabalho como caminhoneiro nos Estados Unidos paga, em média, US$ 59.185 por ano, ou seja, menos de 5 mil dólares mensais, o que é considerado um salário mediano e leva potenciais candidatos a procurarem outras ocupações, com salários maiores e mais tempo em casa.

Além da falta de motoristas, toda a cadeia logística dos Estados Unidos tem sofrido com a altíssima demanda por transporte, principalmente de móveis, eletrônicos e equipamentos, muitos importados. Portos da região de Los Angeles estão operando 24 horas por dia, devido às filas de navios esperando para descarregar.

Até 2019, mais de 3,6 milhões de caminhoneiros trabalhavam com carteira de habilitação profissional, a CDL, que permite que sejam conduzidos veículos articulados, com peso superior aos 11 mil quilos.

Empresas fazem de tudo para conseguir candidatos

Transportadoras dos EUA estão investindo pesado para tentar conquistar candidatos à profissão, oferecendo várias bonificações, caminhões novos e salários maiores. Grandes transportadoras oferecem bônus de contratação, que pode chegar a US$ 10 mil, se o motorista contratado trabalhar por um ano na empresa, além de salários que podem passar dos US$ 100 mil, com o pagamento de bonificações por milhas rodadas.

Motoristas com mais tempo de casa, podem escolher o modelo de caminhão que querem para trabalhar, personalizar o veículo, e também podem receber premiações pelo tempo de serviço.

Indicação de novos motoristas também pode render bônus para o motorista que indicar, com valores entre US$ 5 mil a US$ 10 mil, desde que o motorista indicado permaneça por pelo menos seis meses trabalhando.

Rotatividade é problema

Grande parte da falta de motoristas no país se dá pela altíssima rotatividade de profissionais. Com mais benefícios na concorrência, os motoristas trocam de empresa, muitas vezes em menos de seis meses. E como a concorrência sempre está oferecendo algo mais, é difícil reter os profissionais por períodos acima de um ano.

Governo e entidades buscam soluções

O governo dos Estados Unidos e entidades ligadas ao transporte tem debatido o problema há vários anos, buscando soluções, como redução da idade mínima para dirigir caminhões, que passaria a ser de 18 anos, incentivos para veteranos militares, e até mesmo a contratação de motoristas de outros países de língua inglesa nativa. Nada tem surtido muito efeito no curto prazo.

Infraestrutura ruim

Apesar da imagem que outros países tem do trabalho com caminhões nos Estados Unidos, que foi bem explorada em filmes e séries de TV, a profissão é considerada difícil. Longos períodos fora de casa, somados a problemas de infraestrutura, como falta de locais para parar o caminhão e descansar, pouca qualidade na alimentação e até a comida ruim, muitas vezes sendo somente fast food, não são nada atrativos para o profissional que poderia se tornar caminhoneiro.

Problema que só cresce

Até 2030, a American Trucking Associations estima que devam faltar mais de 160 mil caminhoneiros, caso não exista uma solução de médio prazo que possa sanar o problema.

Se isso realmente acontecer, a economia norte-americana poderá ser fortemente impactada, com compras que não são entregues por falta de caminhões.

Caminhões autônomos ainda não são solução

Outra solução para o problema seria o uso de caminhões autônomos, aqueles que não precisam de motoristas dentro da cabine, ou drones, que seriam caminhões operados à distância, por motoristas dentro de salas de controle, possivelmente a milhares de quilômetros de onde o caminhão está rodando.

Porém, limitações na tecnologia, excesso de burocracia e o alto custo ainda travam o investimento nessas tecnologias, que seguem sendo testadas em ambientes controlados, como dentro de armazéns, portos e áreas de mineração. No transporte rodoviário de longa distância, a solução está longe de ser encontrada.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

7 comentários

Ronaldo Batista lameira 06/03/2022 - 22:31

Como faço pra trabalhar no estado Unidos com motorista carreteiro?

Reply
Ronaldo Batista lameira 06/03/2022 - 22:30

Eu estou disponível pra trabalhar no estado Unidos com motorista carreteiro nacional e internacional

Reply
CELIO SOUSA DE MELO 20/02/2022 - 21:45

Sou motorista carreteiro no Brasil, se alguma empresa quiser me levar para trabalhar no USA , eu vou

Reply
LUCAS LIRA DA SILVA DE FREITAS 05/01/2022 - 20:19

Boa Noite adoraria conseguir uma vaga de emprego de motorista Carreteiro nos EUA como posso me candidatar a vaga de Motorista Carreteiro? 62996888274

Reply
Oto 30/12/2021 - 16:25

Estes veículos controlados a distancia só vão funcionar o dia q tiver estradas propria pra eles. Qual o doido q vai andar de carona numa maquina q dirige. Daqui a pouco uma maquina desta entra em depressão e se suicida com você dentro.

Reply
Francisco SILVA 01/11/2021 - 18:28

Boa/noite. Só motorista se alguém sabe informar como se escrevo. Para conseguir uma oportunidade. Só livre pra viajar pra Qual que lugar do mundo
Só preciso de uma oportunidade

Reply
Ediclei 01/11/2021 - 08:03

Como fazer para se inscrever à uma dessas vagas de motorista de caminhão?

Reply

Deixe um comentário!