Consórcio Iveco cresce 17% em 2021

por Blog do Caminhoneiro

As vendas de cotas de Consórcio da Iveco cresceram 17% em 2021, chegando à cifra de R$ 492 milhões em créditos. De acordo com a empresa, o resultado é atribuído à capacidade de adaptação experimentada pelo mercado durante o desafiante período de pandemia.

Com a demanda por veículos pesados em alta e estoques em baixa, por conta da crise de semicondutores que afetou a produção automotiva no mundo todo, ter que se planejar para uma aquisição no futuro virou a realidade de muitos consumidores e um atrativo explorado por montadoras e concessionárias.

“O mercado estava muito aquecido e, automaticamente, conseguimos aproveitar esse fluxo, pois a compra programada e o planejamento são algumas das principais características do consórcio. Por meio da modalidade, o consumidor faz pagamentos mensais, livres de juros e, quando contemplado, sai com o valor integral para a aquisição à vista do produto”, diz Mauro Andrade, gerente comercial do Consórcio Iveco, administrado pela Ademicon.

Dados da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave) mostram que de janeiro a novembro de 2021, as vendas de caminhões cresceram 45,06% em relação ao mesmo período de 2020. Na esteira dessa expansão, o setor de consórcio também registrou alta.

De acordo com a Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios (ABAC), nesse período, as vendas de novas cotas no segmento de veículos pesados – que inclui caminhões, ônibus, semirreboques, tratores, implementos agrícolas e rodoviários – subiram 62,5% em relação aos mesmos meses de 2020.

“Quando os juros estão elevados, algumas modalidades de crédito disponíveis no mercado ficam mais caras. Nesses momentos, o consórcio se torna ainda mais competitivo e vantajoso para os clientes, considerando que não há cobrança de juros”, explica Andrade.

A expectativa do Consórcio Iveco é manter o crescimento em 2022, expandindo em cerca de 15% o volume de créditos comercializados em relação a 2021.

“Nos dois últimos anos tivemos que nos reinventar, mas conseguimos ser assertivos em nossas ações, trazendo os resultados esperados e até acima da expectativa. Embora o mercado de caminhões seja cíclico, acreditamos que em 2022 seguirá em expansão”, diz Andrade.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

Deixe um comentário!