Artigo – Gerenciar caminhoneiros autônomos não é para todos

Empresas de todos os tamanhos e setores têm como uma de suas principais metas cortar custos. E os valores investidos em transportes é um dos primeiros a serem repensados. E, com uma alta média do diesel de 44,3% em 2021 segundo a ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), fica difícil ‘engolir em seco’ a alta da tabela de fretes definida pela ANTT, que em 2022 será de 6,45% a 8,58%.

Para fechar a conta e não sair no prejuízo, muitas vezes a saída é diminuir a preferência pelas transportadoras tradicionais e partir para uma maior utilização de caminhoneiros autônomos. Se a ideia for isso, muitos podem pensar em fazer com uma empresa inexperiente ou ainda internalizar essa função.

Mas será que essa é a melhor solução? É preciso ter muito cuidado ao tomar a decisão, principalmente se a opção for cuidar dos fretes por conta própria. É muito mais complicado do que se imagina! E a seguir você entenderá o porquê.

1- Quem carrega a sua carga: Pais e mães desejam o melhor para os seus filhos e ficam com o pé atrás quando eles saem pela primeira vez com uma nova pessoa. Afinal, como confiar em quem não se conhece? Por fora bela viola, por dentro pão bolorento, já dizia o ditado.

A aparência nem sempre é tudo e pode enganar. É preciso conhecer profundamente quem está com sua carga. Quem cuida por conta desse processo não consegue conhecer profundamente quem está na boleia. E os riscos de algo acontecer são grandes.

2- Seguro: Sua carga é o seu bem mais valioso e precisa ser bem protegido. E a metáfora dos pais zelosos cabe muito bem aqui também. Muitas empresas que intermediam transportes não se preocupam em segurar a carga – afinal, essa medida vai encarecer o frete, tirando competitividade.

E se os ditos profissionais não se preocupam com isso, o que dizer de quem está dentro da empresa? Por falta de experiência é capaz da pessoa acreditar que essa deve ser uma responsabilidade do próprio motorista. Apenas no estado de São Paulo o roubo de cargas aumentou quase 5% no primeiro semestre de 2021. No caso de acontecer um sinistro, a empresa precisará correr atrás do prejuízo.

3- Visibilidade e rastreamento da carga: Quem presta serviço atualmente pensa em disponibilizar uma fácil visualização de onde está o caminhão? Você precisa saber se as rotas determinadas estão sendo seguidas e se, por acaso, os motoristas por acaso gastam mais tempo que o necessário em um local.

É fundamental ter esse controle, com os veículos sendo acompanhados por GPS. E não vale pedir a localização em tempo real para o caminhoneiro via WhatsApp. Esse serviço precisa ser independente da vontade do motorista, afinal, ele precisa se concentrar na direção.

4- Uso de novas tecnologias: a transformação digital chegou a todas as horas, inclusive no transporte de cargas. E se você acredita que modernidade é falar diretamente com o motorista pelo WhatsApp, se enganou.

É difícil monitorar todas as cargas em trânsito sem a ajuda de novas tecnologias. E o GPS já falado é apenas a mais simples delas. A utilização de ferramentas inovadoras, inacessíveis para quem faz a gestão sozinho ou com a ajuda de uma empresa iniciante pode acarretar no atraso ou mesmo desvio da carga.

São muitos os fatores e preocupações a serem levados em conta. Uma empresa séria, como uma transportadora digital, seleciona ‘a dedo’ os melhores motoristas e oferece seguro para a carga de ponta a ponta.

E o uso da tecnologia está no DNA delas, oferecendo um aplicativo onde toda a gestão dos fretes é realizada de maneira simples e intuitiva. Big Data e Inteligência Artificial são utilizados para oferecer o melhor serviço.

Viu como contratar um caminhoneiro autônomo vai muito além do que apenas combinar o preço do frete pelo WhatsApp?

Artigo escrito por Jarlon Nogueira, CEO da AgregaLog

12 comentários

Jean Patrick Palhoni canto 05/02/2022 - 10:43

Vejo como uma Boa iniciativa as empresas criarem suas transportadoras pois o frete seria igual pra todos assim temos de exemplo a Cargill e a belgo em parceria com o freto preço justo pra todos

Reply
Werke 03/02/2022 - 20:49

Tu é uma vestal, é? Nunca viu matéria paga ou se finge de inocente?

Reply
Werke 03/02/2022 - 20:47

Falta de união dá em falta de sindicato forte. Mas enquanto a classe achar que sindicato é ‘coisa de comunista’, vão levar ferro.

Reply
DO NASCIMENTO 03/02/2022 - 06:57

Tipica matéria paga por grandes empresas transportadoras como resultado da total falta de união entre os autônomos, onde é cada um por si e não conseguem nenhum beneficio.

Reply
Ramos 03/02/2022 - 05:57

A verdade é que os vermes do setor de transportes só olham para si , e o governo também tem sua parcela de culpa quando as empresas passam por dificuldades elas entram em acordo e dinheiro chega do chega os autônomos quando precisam o governo fecha as portas e se abrir é tanta burocracia que os autônomos preferem tomar dinheiro com agiotas ou mesmo vender oque conquistou ao longo da vida para não sair do ramo porque infelizmente a maioria dos caminhoneiros está cansados e muito difícil se adaptar a alguma coisa que não seja transportando nas estradas.

Reply
Emerson de Medeiros Carvalho 02/02/2022 - 23:26

Esse cidadão se diz jornalista?
Incrível mesmo é citar nomes de ferramentas…..parece até um comercial das mesmas.
Qual a vivencia desse cidadão numa boleia de caminhão
A resposta só pode ser nenhuma
Uma vergonha

Reply
Fabiano Antônio Lima 02/02/2022 - 20:30

Matéria tendenciosa e vergonhosa….esse Blog se diz ser do caminhoneiro, até hoje não vi se quer alguma com valor….

Reply
leandro fernandes 02/02/2022 - 20:25

A matéria está tratando o autônomo com desrespeito e arrogância , a classe que mas tem cuidado com a carga , justamente por se tratar de seu próprio veículo que transporta . Jornalista imbecil vai se informar pra depois sair falando suas bobagens

Reply
CARLOS EDUARDO DA SILVA 02/02/2022 - 13:24

Arrogância do empresário em querer o mundo só pra eles !!!!
O Sol nasce pra todos !!!!

Reply
Marcos Nogueira Correa 02/02/2022 - 11:31

O que se percebe e a falta de respeito com a categoria dos autônomos ,como uma pessoa escreve um artigo desse ? Colocando as empresas em dúvidas em relação as profissionais autônomos. Vergonha o que esse artigo diz a respeito da contratação . Se fosse assim nem as transportadoras não contrataria essa classe e só pra frisar somos uma categoria enorme ! A só pra deixar registrado e muito mais fácil negociar com autônomo que além do valor ser mais barato pela prestação do serviço do que transportadora que além de cobrar mais caro quando da uma zebra e a primeira a pular fora ,não são capaz de assumir suas responsabilidades e só pra turma ficar ciente tem transportadora que só tem o número do CNPJ e não tem nenhum caminhão só trabalham esplorando as empresas que contratam seus serviços e os caminhoneiros que são mal remunerado por ela sendo explorado nos valores que na verdade nem estão pagando o óleo diesel!

Reply
Bruno Alves 02/02/2022 - 10:25

Matéria tendenciosa. Existem péssimos profissionais em cada uma das profissões que existem no mundo, inclusive jornalistas.

Reply
Fernando Garcia 02/02/2022 - 06:19

Da forma em que está matéria foi colocada faz as pessoas entenderem que contratar o caminhoneiro diretamente se torna algo completamente inviável, porém veja que em sua grande maioria eu disse grande maioria as transportadoras trabalham com frota terceirizada conheço uma empresa de porte médio grande que passou a contratar por conta o caminhoneiro autônomo diretamente e reduziu e muito seu custo com transporte, e aumentaram razoavelmente seus lucros.mesmo tendo o custo do seguro da carga e do gerenciamento de risco. É fato que as transportadoras precisam cobrar pelo serviço porém contratar o autônomo não é tão difícil muito menos arriscado só precisa fazer de forma correta.

Reply

Deixe um comentário!

Projeto quer acabar com valores de fretes muito baixos Montagem de caminhões no Brasil segue em alta Uso do celular aumenta entre motoristas Rebite – Um grande vilão nas estradas Volkswagen apresenta caminhão conceito Optimus