Por que as viagens de volta parecem mais curtas que as de ida?

Você já deve ter passado por isso. Em um trajeto novo, indo para o destino, a viagem demora muito a passar. Os quilômetros se arrastam, e 80 quilômetros parecem que se tornam 200. Na volta, os mesmo 80 quilômetros parecem que são feitos de forma muito mais rápida. Mas por que isso acontece?

A resposta está no funcionamento interno do nosso relógio cerebral, que não funciona de forma tão regular quanto um relógio de parede, e muitas vezes altera nossa percepção de tempo.

Os nosso neurônios responsáveis pela percepção da passagem do tempo ficam juntos com aqueles responsáveis pela nossa concentração. Ou seja, quanto mais atenção você presta no caminho, e em todos os detalhes da viagem, menos você se concentra no tempo.

Por isso, quando viajamos por uma estrada nova, a concentração na estrada, no tráfego, curvas, placas, e todos os outros detalhes reduz nossa concentração no tempo, e achamos que a viagem está demorando mais.

Quando retornamos pelo mesmo caminho, mesmo que a quilometragem e velocidade média seja exatamente idêntica às da viagem da ida, a nossa concentração nos detalhes da estrada é reduzido, e o relógio cerebral funciona de forma mais eficiente, parecendo que o tempo passou mais rápido. Mas é só impressão mesmo.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

Deixe um comentário!

O Royal Eagle é um Scania 143 como você nunca viu T112MC – Scania desenvolveu modelo exclusivo para a Nova Zelândia Você lembra do seriado “As Aventuras de BJ” nos anos 1980? Caminhões chineses são equipados com cabine de modelo da década de 1970 Conheça o transporte Piggyback, muito usado nos Estados Unidos