Estradas suecas recebem a carga mais pesada que já rodou por lá

A Suécia é um país com estradas sinuosas de paisagens variadas, como áreas montanhosas e densas florestas. Foi nesse cenário que foi realizado o transporte da carga mais pesada que já rodou por aquele país.

A movimentação foi feita para a empresa de energia Ellevio, e a carga era um gigantesco transformador, de 390 toneladas, com potência de 750 MVA, que precisou viajar por 270 quilômetros em uma rota muito desafiadora, até a região de Ljusdal, onde há um grande parque eólico.

Para garantir uma viagem segura, foi necessária a realização de uma avaliação completa da rota, com marcação de pontes, viadutos, fios elétricos e sinalização que poderia atrapalhar a viagem. Além disso, foram feitos cálculos para se conhecer a resistência do pavimento das rodovias, evitando danos.

“A grande maioria das estradas na Suécia não são normalmente projetadas para transporte pesado e, portanto, era crucial ter uma visão completa da rota desde o início do projeto. Usando um trabalho de planejamento já realizado, usamos nossa ferramenta de levantamento de rotas para identificar o que era necessário para garantir que as estradas pudessem acomodar o transformador e o equipamento que o transportava”, destacou Brendan James Daley, engenheiro de vendas da Mammoet Sweden.

Muitos trechos da estrada precisaram ser reforçados, e outros, em baixo de pontes e viadutos, precisaram ter a pista rebaixada em cerca de 400 mm, garantindo que a carreta pudesse passar sem enrroscar.

Para poder rebocar a carga foram usados dois caminhões Trojan, com 700 cavalos de potência cada um, que podem rebocar cargas de 500 toneladas em trechos com inclinação de até 7%.

O transformador foi colocado sobre uma carreta de vigas com capacidade para 400 toneladas, e foram usadas duas linhas de eixo de 16 eixos cada para acomodar a carga e distribuir o peso sobre o asfalto.

A jornada começou nas instalações da Hitachi Energy em Ludvika, percorrendo 125 km em duas noites para chegar a Köping, de onde houve o transporte marítimo para Iggesund. A partir daí, havia um percurso final de 145 km por terra, que foi o trecho mais desafiador do projeto.

Além de estradas menores e mais estreitas, haviam quatro cruzamentos ferroviários movimentados, curvas apertadas e várias pontes onde foram necessárias linhas de eixo adicionais para se chegar ao destino.

Apesar das grandes dificuldades, a carga mais pesada da Suécia chegou com segurança e dentro do prazo planejado ao seu local final, onde deverá operar ininterruptamente para levar eletricidade para o país.

Deixe um comentário!

Projeto quer acabar com valores de fretes muito baixos Montagem de caminhões no Brasil segue em alta Uso do celular aumenta entre motoristas Rebite – Um grande vilão nas estradas Volkswagen apresenta caminhão conceito Optimus