Caminhão divulga mensagem de conscientização do Outubro Rosa

A Loga (Logística Ambiental de São Paulo), responsável pela coleta, tratamento e destinação final dos resíduos sólidos e de saúde na Região Noroeste da capital, iniciou no domingo (9/10), sua participação na campanha Outubro Rosa, em uma ação na Avenida Paulista. A companhia soma-se, assim, aos esforços de conscientização sobre a importância dos cuidados com a saúde feminina, a prevenção do câncer de mama, diagnóstico precoce e a necessidade do autoexame.

O tradicional Caminhão Rosa da empresa, integrante de sua frota de coleta de resíduos recicláveis e símbolo da campanha, esteve em frente à Casa das Rosas, ao longo de todo o dia. Colaboradores da empresa, dentre os quais duas coletoras e uma motorista, participaram voluntariamente. O time distribuiu cerca de mil rosas a pessoas que passaram pelo local. O público presente recebeu o tradicional laço cor-de-rosa, símbolo da luta e prevenção do câncer de mama, e folders informativos sobre a doença.

“Essa ação teve ótimo impacto nas pessoas que passaram pela Avenida Paulista. Muitas pararam para tirar fotos com o caminhão rosa. Não apenas mulheres, mas homens também se sensibilizaram com a iniciativa e levaram folhetos e rosas para dar a alguém da família. As crianças puderam visitar a cabine do caminhão e tirar fotos”, relata Solange Schnaak, supervisora de Comunicação e Marketing da Loga, informando: “A partir desta semana, o veículo percorrerá as vias da cidade pelos próximos três meses, levando aos paulistanos, até o final de dezembro, a mensagem de mobilização contra o câncer de mama”.

Para a profissional da Loga, é muito importante o engajamento das empresas e de toda a sociedade na luta contra a doença, pois, segundo estimativa do Instituto Nacional de Câncer (INCA), para cada ano do triênio 2020/2022, são diagnosticados no Brasil 66.280 novos casos, com um risco estimado de 61,61 ocorrências a cada 100 mil mulheres.

Um exemplo da repercussão da atividade na Avenida Paulista encontra-se no depoimento da cidadã Dinah Otero, de 75 anos, presente no local da ação: “O timing é crucial! Todos os anos eu vou ao médico para fazer exames. Depois de 15 anos de acompanhamento periódico, descobri que estava com câncer de mama, em 2016. A minha cirurgia foi 10 dias depois que descobri. Se tivesse demorado mais, eu não teria condições de sobreviver. Sou uma pessoa extremamente saudável, não tenho pressão alta ou baixa e não tomo nenhum remédio. Foi um trauma. Não podemos relaxar. Não deixe de se informar por medo do que pode acontecer”.

Citando dados do Inca e de especialistas na doença, Solange Schnaak lembra não existir somente um fator de risco para o câncer de mama. No entanto, a idade acima dos 50 anos é considerado um fator importante. Outras causas que contribuem para o aumento da possibilidade de desenvolver a doença são genéticas e hereditárias, além da menopausa tardia, obesidade, sedentarismo e exposições frequentes a radiações ionizantes.

“Prevenir, fazer exames médicos periódicos e realizar sempre o autoexame são os cuidados mais eficazes para o diagnóstico precoce, que salva muitas vidas. É esta mensagem que a Loga levou às paulistanas na Avenida Paulista e continuará disseminando na cidade até o final do ano”, enfatiza a profissional de comunicação.

Deixe um comentário!

Caminhoneiros estão cada vez mais procurados pelas transportadoras Caminhoneiro recém contratado depena caminhão nos EUA Eficiência dos motores diesel chega a um novo patamar Projeto quer acabar com valores de fretes muito baixos Montagem de caminhões no Brasil segue em alta