Se houvessem opções, empresas deixariam de usar caminhões para o transporte de cargas

A maioria da empresas que responderam uma pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI), divulgada no último dia 18 de outubro, disseram que usariam o transporte por outras vias, deixando as rodovias de lado, se houvessem opções.

Para grande parte das empresas, a maioria das cargas deveriam percorrer as grandes distâncias no Brasil embarcadas em trens. Mas o estado das ferrovias impede a troca. A pesquisa mostra que apenas 8% das indústrias transportam a produção por trilhos. Desse total, 63% consideram o sistema ferroviário regular, ruim ou péssimo. Somente 31% dizem ser bom ou ótimo.

Desconsiderando a opção das ferrovias, quase todas as empresas usam os caminhões para o transporte de cargas (99%). Eventualmente, são usados os modais aéreo (46%) e portuário (45%), a navegação de cabotagem (13%) e hidrovias (12%).

Para essas empresas, o maior gargalo, que afeta o crescimento e investimentos, é o transporte. A CNI estima que seriam necessários investimentos anuais de 2% do PIB para modernizar a estrutura logística do país e torná-la adequada tanto ao escoamento interno de cargas, quanto às exportações e importações.

As empresas também destacaram que a possibilidade de troca do modal rodoviário por outros seria a redução de custos e a maior agilidade nas entregas. 84% dos empresários entrevistados dizem que os custos de transporte e logística são muito altos.

Apesar do desejo de migrar para o modal ferroviário, as indústrias consideram o estado das rodovias como o maior problema atual no transporte de cargas. A infraestrutura das estradas foi citada por 67% dos entrevistados como o principal gargalo logístico.

Deixe um comentário!

Conheça os caminhões mais vendidos do Brasil em novembro Caterpillar apresenta caminhão gigante totalmente elétrico Caminhoneiros estão cada vez mais procurados pelas transportadoras Caminhoneiro recém contratado depena caminhão nos EUA Eficiência dos motores diesel chega a um novo patamar