Desafios da Logística de Transporte no Brasil

por Blog do Caminhoneiro

Caminhões na BR-476 - Foto de Rafael Brusque Toporowicz - Blog do Caminhoneiro

Questão amplamente noticiada pelos meios de comunicação, a logística brasileira é apontada como um dos maiores gargalos para o crescimento e o desenvolvimento do país e de diversos setores da economia. Isso porque uma logística eficiente e otimizada envolve a escolha do melhor modal de transporte (ou combinação de modais), capaz de transportar o maior número de mercadorias com segurança, mínimo custo e menor tempo possível, variáveis um tanto quanto complexas de serem equacionadas. Em resumo, transportar mercadorias no Brasil – altamente dependente do modal rodoviário – garantindo a integridade da carga, no prazo combinado e a baixo custo é um desafio e tanto.

O transporte é uma das principais funções logísticas, pois representa uma parcela significativa dos custos para fazer com que produtos cheguem das indústrias ao mercado consumidor, atendendo às prioridades de entrega. Tem, portanto, papel fundamental na qualidade do serviço que é prestado ao cliente. Dessa forma, o transporte é fator crítico para que seja atingido o objetivo logístico: produto certo, na quantidade certa, na hora certa, no lugar certo e ao menor custo possível.

As companhias brasileiras vêm buscando atingir esse objetivo em suas operações, a fim de obter diferenciais competitivos. As transportadoras contratadas pelas indústrias tem papel-chave nesse contexto e precisam cada vez mais investir em profissionalização e em formas de otimizar seu negócio e garantir melhor planejamento e controle para que os objetivos logísticos sejam cumpridos de modo satisfatório. A regra é que não haja impactos aos clientes no recebimento de suas mercadorias, pois, dependendo do setor, atrasos na entrega de produtos podem significar prejuízos gigantescos.

Qual a saída então para tantos desafios? Planejamento é, sem dúvida, a palavra que aparece em primeiro lugar na lista nesse contexto, e uma ferramenta analítica de planejamento será, claramente, uma importante aliada. As empresas que têm no transporte seu core business precisam se convencer de que lidar com tamanha complexidade não pode ser feito de modo caseiro. De que forma, afinal, é possível garantir qualidade de entrega tendo que considerar tantos fatores como origem da mercadoria, destino, prazo de entrega, tipo de caminhão, tipo de monitoramento, melhor rota, experiência do motorista, capacidade de cada veículo, regras de gerenciamento de riscos, limites de valor a serem transportados por veículo, etc.? Sem uma ferramenta analítica de planejamento adequada, não é difícil imaginar a quantidade de falhas e ineficiências a que uma operação está sujeita.

Cada empresa deve, portanto, analisar que efeitos a logística de transporte tem para seus negócios. Se a ocorrência de problemas e falhas estiver impactando as operações a ponto de gerar prejuízos e insatisfações irremediáveis junto aos clientes, é hora de considerar o investimento em sistemas analíticos que permitam realizar um planejamento mais estruturado e eficiente.

Texto de Oscar Porto, matemático e Diretor de Negócios da Gapso

COMENTAR

QUER ENTRAR EM CONTATO COM O BLOG DO CAMINHONEIRO? ENVIE UMA MENSAGEM CLICANDO NO NÚMERO ABAIXO

042-3532-4235

Artigos relacionados

Deixe sua opinião sobre o assunto!