O GAÚCHO, O MERCEDES E O CHURRASCO – Actros 2655 6×4

MB Actros LS 2655 bitrem tanque

Joaquim tem vários contratos
puxando frete para transportadora.
No Mercedes Benz Actros,
máquina, das pistas uma devoradora.

Também puxando combustível
para importante distribuidora.
A bordo deste caminhão incrível
a tranquilidade não é duradoura.

A carga além de perigosa
é cobiçada por criminosos.
Joaquim faz condução cautelosa.
andando por caminhos perigosos.

Como todo bom gaúcho
no manejo da carne não faz fiasco.
Para encher o seu bucho
é caprichoso na feitura do churrasco.

Carreteiro sem muitas delongas
Joaquim é homem de pouco luxo.
Dentre as inúmeras viagens longas,
foi convidado a fazer churrasco gaúcho.




Carregamento de fertilizante
entregue em fazenda paulista.
Joaquim, homem pensante.
uma boa carne já tinha em vista.

Na sua mente uma ideia pensada.
Como fazer churrasco de bom sabor.
No sal grosso, em papel celofane enrolada.
Assaria com o aquecimento do motor.

Levantou a cabine do Mercedes Actros
e acondicionou a carne perto da turbina.
Já imaginava o churrasco nos pratos
tomado com cerveja ou tubaina.

A viagem seguia uma maravilha.
Que conforto no Mercedes Actros.
De repente perseguido por quadrilha.
Do bitrem queriam levar seus lastros.

Os pesados carregamentos
valiam muitos milhões de reais.
Viu-se cercado naquele momento.
Na estrada não se tinha nenhuma paz.

V8, motor dos mais compactos,
gerando a potência de uma usina.
Joaquim dava tudo no Mercedes Actros,
tentando fugir daquela gente cretina.

Cercado pela frente e pela lateral
por dois pequenos carros compactos.
O gaúcho Joaquim deu um jeito afinal.
Atropelou-os com seu Mercedes Actros.

Mas logo à frente entrou na pista
dois caminhões fechando o Mercedes Actros.
Joaquim com perícia poucas vezes vista
desviou e escapou dos impactos.

Passando pelo acostamento apertado
voltou para a pista mantendo a fuga.
Aquilo deixaria qualquer um estressado.
Joaquim ganharia mais uma ruga.

Os dois caminhões o perseguindo
e ele não tinha uma carta na manga.
O mais rápido possível seguindo.
Dos criminosos aumentava a zanga.

Os caminhões em rápida aproximação
Fecharam o Mercedes do Joaquim.
Teria de parar sua composição.
Certamente seria o seu fim.

Perdido por perdido, truco.
Decidiu que passaria no peito.
Pensaram ser um carreteiro maluco.
que da cabeça não regulava direito.

Quando viram que ele não pararia
e sem tempo de saírem da cabina.
Marcha-a-ré liberaram a rodovia.
Joaquim passou tirando uma fina.

O espelhos retrovisores
chegaram a ser atingidos.
Verdadeiro circo de horrores
aquela perseguição dos bandidos.

Como ganhou boa dianteira
Trecho da rodovia com ponto cego.
Atravessaria sua máquina estradeira.
Bloquearia aqueles Mercedes Atego.

Os bandidos vinham no embalo.
Os semirreboques pareciam imensas paredes
desviaram para o mesmo lado os cavalos.
Chocaram-se violentamente os Mercedes

Acabaram colidindo com violência,
para não se chocarem com o bitrem.
Joaquim não teve peso na consciência.
criminosos a menos mandados para o além.

Ao chegar na fazenda com a mercadoria
contou o motivo daquele atraso.
Foi recebido pelo fazendeiro com alegria.
Conseguiu chegar dentro do prazo.

A alegria do fazendeiro foi aumentada.
Joaquim elevou a cabina do cavalo de três eixos.
Ali junto ao motor, deliciosa costela assada.
Perfumada, de comer e lamber os beiços.

ROBERTO DIAS ALVARES