PRF flagra caminhões com fraudes no sistema de Arla em Tocantins




A Polícia Rodoviária Federal (PRF) realizou uma operação de combate a crimes ambientais, como tráfico de animais e madeira, além do controle de emissão de gases poluentes. Dezesseis pessoas foram detidas em 14 flagrantes feitos pelos policiais entre os dias 20 e 28 de março.

Um dos crimes encontrados pelos policiais está a adulteração do equipamento que permite os caminhões transitarem sem o ARLA 32. A substância é um composto químico de uréia e água desmineralizada, que é injetado no sistema de escapamento dos caminhões. Sem ele, os veículos poluem 5 vezes mais.

Para identificar as fraudes os policiais verificam a cabine e o sistema elétrico do veículo. Depois, uma quantidade do composto químico é colocada em um aparelho chamado refratômetro que vai medir sua autenticidade. O valor obtido precisa estar entre 30 e 35.

Em seguida, os policiais misturam outro reagente na amostra do Arla 32 e para ser descartada a fraude, a solução deve ficar azul.

“Nós ficamos surpresos com a quantidade de caminhões flagrados com irregularidades. Em menos de 10 dias de operações nós já encontramos 11 ou 12 caminhões com irregularidades diversas, desde fraudes simples até aquela mais elaborada com implantação de sistema para inibir o uso do Arla 32”, destacou o policial João Eudes.

Fraudar o Arla 35 é crime com pena de um a quatro anos de prisão e multa.




Um comentário em “PRF flagra caminhões com fraudes no sistema de Arla em Tocantins

  • 03/04/2018 em 09:47
    Permalink

    Porquê, esse tipo de fiscalização, não funciona na,Bahia? Pois tenho como comprovar uma Frota de grande proporção que circula livremente pelas rodovias da Bahia, e em momento algum passou por qualquer fiscalização. Sou um condutor, que faço parte dessa empresa à qual estou referindo. Se quiserem realmente ter a certeza;,Expresso Sudoeste de Brumado. Proprietário Vanderlito Souza

    Resposta

Deixe sua opinião sobre o assunto!