Greve dos caminhoneiros diminui em 27% operações de granéis no Porto de Paranaguá




A greve nacional dos caminhoneiros nas estradas brasileiras está impactando as operações de granéis vegetais e fertilizantes no Porto de Paranaguá. A movimentação diária caiu 27%, de 150 mil toneladas para 110 mil toneladas.

Nos primeiros quatro dias de paralisação total das atividades rodoviárias, os estoques de grãos para exportação nos armazéns estavam a 51% da capacidade total do porto. Deste modo, o porto registrou uma queda nas exportações de granéis de 15 mil toneladas por dia, passando de 85 mil para 60 mil toneladas diárias.

Já a importação de fertilizantes foi interrompida em berços de atracação em que o transporte da carga é feito por caminhões. Apenas os berços que operam com esteiras continuam funcionando. Com isso, a movimentação de desembarque de fertilizantes caiu de 25 mil toneladas ao dia para 10 mil toneladas.

A movimentação de granéis líquidos, no entanto, mantém sua média diária de 40 mil toneladas. Os desembarques continuam normais enquanto os tanques dos terminais ainda não estão completos.