Reparts, divisão de aftermarket da Valeo Thermal Bus, prevê crescer 20% em 2018




A Reparts, divisão da Valeo Thermal Bus Systems, responsável pela distribuição de peças de reposição de sistemas de ar-condicionado para o mercado de reposição da América Latina, prevê crescer 20% este ano.

Segundo Diogo Vanassi, diretor-geral da Reparts, a crescente utilização nos últimos anos de sistemas de ar-condicionado em ônibus urbanos, no Brasil e em países da América Latina, ampliou a demanda por componentes de reposição. “A adoção do ar-condicionado em ônibus urbanos tende a crescer ainda mais, pois menos de 20% dos veículos em circulação nas principais cidades brasileiras contam com o equipamento. Essa tendência fará com que o mercado cresça significativamente nos próximos anos”, destaca Diogo.

Criada em 2012, a Reparts nasceu com o objetivo de oferecer atendimento personalizado aos clientes no fornecimento de peças de reposição para equipamentos de ar-condicionado em ônibus e sempre buscando o aumento do seu portfólio.

“Isso só foi possível porque atuamos muito próximos dos nossos parceiros, os operadores do transporte coletivo de passageiros e frotistas de ônibus. Mesmo os pequenos clientes podem receber suas peças de reposição em até 48 horas, um fator determinante para o sucesso da empresa”, salienta.

É neste estreito relacionamento e resposta imediata às solicitações que a Reparts aposta para continuar crescendo. Além dos frotistas e operadores de transportes, a empresa atua também nos segmentos de veículos comerciais, agrícola e montadoras independentes de sistemas de ar-condicionado. “Possuímos três centros de distribuição em Caxias do Sul, Toluca, no México, e Buenos Aires, na Argentina, e rede autorizada com 94 pontos em todo o território nacional, além de outros 27 distribuidores em diferentes países da América Latina, como Argentina, Paraguai, Chile, Colômbia, México, Peru e Uruguai”, esclarece o executivo.

LEIA MAIS  Princesa dos Campos recebe Selo Sesi ODS 2018

Peças originais Valeo

Segundo Diogo Vanassi, o principal obstáculo para um crescimento ainda maior da Reparts são as empresas que comercializam no mercado peças recondicionadas. As peças recondicionadas parecem, inicialmente, ser uma opção econômica e eficiente para a redução dos custos de manutenção. Mas pelo desempenho e vida útil inferiores, são mais dispendiosas, pois precisam ser substituídos em prazos muito menores que o componente original Valeo. “Isso, sem contar com o desconforto que geram para os passageiros e as reclamações dos usuários pelo menor poder de refrigeração”, explica Diogo Vanassi.

A utilização de componentes recondicionados, sem os padrões de qualidade e desempenho dos sistemas originais e que não atendem às especificações, impede o perfeito funcionamento do equipamento e reduz a sua eficiência. “O resultado é que depois da substituição dos componentes originais pelos recondicionados, o ar-condicionado não refrigera adequadamente, tem ruído muito maior, reduzindo o nível de conforto dos veículos e gerando prejuízos a médio e longo prazos para os frotistas”, analisa.

LEIA MAIS  Caio Induscar faz venda de 300 ônibus para empresas do Rio de Janeiro

Os principais componentes recondicionados comercializados no mercado são os ventiladores, embreagens e compressores. “Existem casos de incêndio em ônibus em razão do superaquecimento do chicote devido ao uso de ventiladores recondicionados, que podem ocasionar a oscilação da voltagem do circuito elétrico do veículo”, salienta Diogo.

Com sede em Caxias do Sul, a Reparts comercializa componentes de sistemas de ar-condicionado como ventiladores, compressores, válvulas, filtros, controladores e componentes elétricos e eletrônicos, entre outros.




Deixe sua opinião sobre o assunto!