Ministério da Infraestrutura inicia projeto-piloto do Documento Eletrônico de Transporte (DT-e)




O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, lançou, nesta segunda-feira (27), no Espírito Santo, o projeto-piloto do Documento Eletrônico de Transporte (DT-e). A tecnologia unifica cerca de vinte documentos que atualmente são exigidos nas operações de transportes de cargas e transporte de passageiros realizadas no país.

A expectativa do Ministério da Infraestrutura é que o DT-e irá reduzir filas, diminuir os custos e o tempo de viagens dos caminhões, que serão fiscalizados de forma mais eficiente nas pontos de fiscalização.

O DT-e é um projeto dentro de uma série de medidas que estão sendo adotadas pelo Governo de Jair Bolsonaro para desburocratizar o Brasil. O presidente e seus ministros sempre falam que a missão do governo é deixar a vida do brasileiro mais fácil, menos burocrática e menos custosa.

O DT-e unifica todos os documentos do transporte, o CT-e, o MDF-e, os RNTRC’s, seguro da carga, vale-pedágio e também o CIOT. Com isso, a fiscalização do pagamento da tabela de fretes será automatizada, e os embarcadores só conseguirão emitir o documento do frete se todos os requisitos estiverem preenchidos corretamente.

O projeto-piloto será iniciado no Espirito Santo, e em breve estará disponível em todo o país.





5 comentários em “Ministério da Infraestrutura inicia projeto-piloto do Documento Eletrônico de Transporte (DT-e)

  • 30/05/2019 em 10:23
    Permalink

    O piso mínimo de frete se colocado em prática vai acabar com os autônomos. Alguém acha que se o frete sempre for bom, as grandes transportadoras irão passar para os autônomos? Tenho certeza que eles mesmos irão realizar o transporte.
    Só os inocentes pensão que existe de fato alguma preocupação com os pequenos, o que acontece mesmo, é que estão sendo usados para o benefício dos grandes.

    • 30/05/2019 em 10:35
      Permalink

      Correção: Alguém acha que se o frete sempre for bom, as grandes transportadoras irão repassar para os autônomos? Só os inocentes pensam

    • 02/06/2019 em 06:37
      Permalink

      Excelente medida, tudo que for para regulamentar a aplicação da Tabela de frete mínimo é bem vindo. Jamais faltará serviço para os autônomos que quiserem trabalhar.

  • 28/05/2019 em 10:22
    Permalink

    Correção pequena porém necessária. O DTe não é iniciativa do governo Bolsonaro, ele deu continuidade ao projeto que foi idealizado no governo passado. Quanto ao DTe tenho que entender melhor mas desconfio que para o transportador autônomo não traz nenhum benefício, porém ainda não entendi o processo direito porém pelo pouco que lê sobre não houve nenhuma redução de burocracia mas a criação de mais um artefato de burocratização.

  • 27/05/2019 em 16:14
    Permalink

    Então.. como fica!?
    O ciot será travado fazendo assim, o documento sair devidamente no valor da lei, e evitando o que as transportadoras e embarcordores, venham a burlar o piso mínimo de frete? Pois e isso que tem que ser feito, as demais melhorias tem que vir decorrentes ao início do bloqueio do ciot, ou não?? Continuamos a viver de migalhas de grandes transportadoras??

Fechado para comentários.