Volvo busca caminhão e ônibus mais antigos da marca produzidos no Brasil ainda em atividade

Como parte da celebração dos 40 anos de produção de veículos no país, a Volvo está lançando uma ação nas redes sociais para encontrar o caminhão N10 e o ônibus B58 mais antigos ainda em circulação no Brasil. Os modelos foram os primeiros produzidos na fábrica de Curitiba (PR) e foram precursores de inúmeros avanços introduzidos pela marca nas últimas quatro décadas.

A ação pretende mobilizar os seguidores dos perfis da Volvo no Facebook e Instagram para encontrar exemplos de robustez e resistência que sempre caracterizaram os caminhões e ônibus da marca desde estes primeiros modelos. “Queremos encontrar histórias de transportadores e motoristas que contaram e contam até hoje com os veículos Volvo para acelerar o progresso do Brasil”, afirma Daniel Homem de Mello, diretor de comunicação e marketing da Volvo.

A ação de busca começa esta semana e vai até o final de setembro. Fotos, vídeos, documentos ou qualquer outra evidência que possa comprovar a história dos veículos ainda em circulação podem ser enviadas à Volvo por meio das páginas da marca no Facebook –www.facebook.com/volvocaminhoes, www.facebook.com/volvoonibus/ ou Instagram. – www.instagram.com/volvocaminhoes e www.instagram.com/volvoonibus/

Histórias de empreendedorismo

A iniciativa tem como base o sucesso de uma ação similar recente, quando a marca saiu em busca do mais antigo Volvo FH em circulação no País. “Percebemos uma riqueza de conteúdo muito grande em diversas histórias que chegaram até nós. Por trás de cada veículo há muitas conquistas pessoais, familiares e histórias de empreendedorismo. E vamos novamente em busca disso, dessa vez com nossos veículos pioneiros”, diz Alessandra Almada, gerente de marketing da Volvo.

LEIA MAIS  TP Transportes tem novas vagas para motoristas carreteiros

A unidade 001 do N10 tem paradeiro bem conhecido: depois de anos em operação foi readquirida pela Volvo e hoje faz parte do acervo de caminhões históricos da marca. Já o chassi de ônibus 001 encontra-se num acervo privado. “Dessa vez, queremos achar um N10 e um B58 ainda em atividade, gerando resultados para seus proprietários”, argumenta a gerente.

N10 e a “Batalha dos Pesados”

O N10 faz parte da primeira família de caminhões que a Volvo trouxe ao Brasil. Introduzido em 1980, o modelo tinha motor de 10 litros e 260 cv. Logo no ano seguinte chegaria o N12, com motor maior, de 12 litros e 330 cv, para aplicações mais severas. Ambos estavam disponíveis nas versões 4×2 (cavalo-mecânico) e 6×4 (rígido).

Com esses dois modelos a Volvo dava início à “Batalha dos Pesados”, campanha de opinião pública que mobilizou o setor de transportes para o uso de caminhões maiores, com mais eficiência e economia por tonelada transportada. Antes da chegada da Volvo predominavam nas estradas brasileiras caminhões leves e médios. Eram necessários muitos veículos e diversas viagens para transportar a mesma carga que um N10 passou a levar sozinho.

LEIA MAIS  Empresa da Alemanha cria estacionamento vertical para caminhões

Até o fim de 1988 mais de 12 mil caminhões dos modelos N10 e N12 foram licenciados no Brasil. Além disso, milhares foram exportados para toda a América Latina, Oriente Médio e África. Em 1989 os já veteranos modelos deram lugar aos também bem-sucedidos NL10 e NL12.

B58 deu origem aos BRTs

Em ônibus, a história de inovação é parecida. Primeiro veículo da marca produzido pela Volvo no Brasil, em 1979, o chassi B58 trouxe conceitos muito à frente do seu tempo. Com motor central, posicionado entre-eixos, privilegiava o espaço aos passageiros, que passaram a viajar pelas estradas com muito mais conforto e menos ruído.

No segmento urbano essa configuração também permitia transportar mais passageiros num mesmo veículo. O motor entre-eixos permitiu ainda a introdução dos chassis articulados (1980) e biarticulados (1992), que trariam alta eficiência na mobilidade urbana em toda a América Latina, dando origem aos sistemas BRT (Bus Rapid Transit) que conhecemos hoje.




5 comentários em “Volvo busca caminhão e ônibus mais antigos da marca produzidos no Brasil ainda em atividade

  • 25/08/2019 em 21:28
    Permalink

    Ja pensou se achassem aqueles vorvinho do filme JORGE UM BRASILEIRO

  • 24/08/2019 em 17:29
    Permalink

    O meu e bun edc 1997

  • 24/08/2019 em 17:06
    Permalink

    Meu volvo é um XH 89 uma verdadeira máquina, esse dias atrás tive viajando pra Alagoinhas Bahia, Salvador com uma carreta carga seca 13 metros, transportei bubinas de Alumínio pela Supricel, fiz 3 viagens para Alagoinhas Bahia com um peso de 24 mil kilos,tinha horas que eu deixava caminhões novos pra trás, tipo Scanias 440 e FH de torques.

  • 24/08/2019 em 12:54
    Permalink

    Eu sei de um n10 q está trabalhando ate hj

  • 24/08/2019 em 11:30
    Permalink

    Pura demagogia barata da VOLVO. Vão demorar a encontrar os veículos que procuram pois grande parte deles virou ferro velho ou foram para desmanches em razão de seus donos não mais encontrarem peças de reposição no mercado. A Montadora simplesmente abandonou e largou às traças os proprietários de caminhões da linha N e NL principalmente. Experimentem no site da VOLVO CAMINHÕES encontrar peças e componentes para esses veículos. Uma vergonha, além do desrespeito ao cliente e descumprimento da legislação brasileira que obriga o Fabricante a fornecer peças de reposição enquanto durar a vida útil do veículo. Sobre esse assunto, visitem o site .https://clubedovolvo.com e leiam artigo de minha autoria destinado aos proprietários dos caminhões Volvo linhas N e NL e saibam como cobrar da Montadora na Justiça prejuízos decorrentes da omissão no fornecimento de peças.

Fechado para comentários.