Polícia Federal faz operação contra cartel de cegonheiros em quatro estados




A Polícia Federal, o Ministério Público de São Paulo e o Conselho Administrativo de Defesa Econômica, deflagram ontem a Operação Pacto, que mobilizou diversos agentes nos estados de São Paulo, Espírito Santo, Bahia e Minas Gerais. A investigação aponta a formação de um grande cartel para o transporte de veículos Zero KM.

O transporte, realizado por carretas do tipo cegonha de diversas transportadoras, tem indícios de condutas anticompetitivas, como preço combinados e divisão de mercado entre elas, prejudicando a livre concorrência.

O CADE avalia que o cartel gerou um sobrepreço de até 40% no transporte de carros zero KM. De acordo com o CADE, quatro empresas transportadoras de veículos controlavam os valores cobrados e se revezavam para atender as montadoras, importadoras e concessionárias.

Todo o esquema era supostamente realizado com ajuda de um sindicato do Espírito Santo, que fazia mediação entre as empresas envolvidas, e impedia a entrada de novos participantes no grupo.

As empresas envolvidas no esquema e o sindicato não tiveram os nomes revelados, porque o processo está correndo em segredo de justiça.

O Sinaceg, Sindicato Nacional dos Cegonheiros, postou uma nota sobre o assunto em seus canais oficiais, afirmando que as empresas do setor são vítimas de denuncias do tipo há duas décadas. Confira na íntegra abaixo:

ESCLARECIMENTO PÚBLICO

Em razão de notícias veiculadas nesta manhã, referentes a diligências de busca e apreensão levadas a cabo por policiais federais em empresas deste setor, que a grande mídia tem tratado como “empresas de cegonheiros”, muitos associados deste sindicato têm contatado a diretoria externando preocupação e solicitando informações.

Seja em razão das necessárias a nossos associados, seja pela imperiosa necessidade de esclarecimento público, a diretoria do SINACEG se sente na obrigação de prestar os seguintes:

1. O sindicato enfrenta, há já quase duas décadas, uma saraivada de infundadas e inverídicas acusações partidas de pessoas interessadas na ampliação de sua participação no mercado de transporte rodoviário de veículos novos. A participação em cartel tem sido a mais leve delas.

2. A repetição de afirmações fantasiosas, endereçadas a inúmeras autoridades, tem contribuído para a deterioração da imagem dos caminhoneiros prestadores de tão relevante serviço. Mesmo estes têm dificuldade de distinguir afirmações que somente poderiam ser endereçadas a empresas, mas que divulgadas fazendo referência, tão somente, a um “cartel de cegonheiros”, e que afetam a todos, pessoalmente.

3. A busca e apreensão noticiada nesta manhã não tem qualquer relação com este sindicato ou seus associados. Quanto às acusações levianamente apresentadas exclusivamente contra este Sindicato, lembra-se que nem uma única delas teve êxito perante as autoridades constituídas e competentes para o tema e, ainda que tardiamente, terão sua inveracidade comprovada.

São os esclarecimentos que a diretoria do SINACEG se sente obrigada a fazer em nome da dignidade dos caminhoneiros que, há décadas, transportam a produção de veículos novos neste país.

Ass; DIRETORIA SINACEG





22 comentários em “Polícia Federal faz operação contra cartel de cegonheiros em quatro estados

  • 20/10/2019 em 00:18
    Permalink

    Todo sindicato de transporte são corruptos

    Resposta
    • 20/10/2019 em 11:32
      Permalink

      E os “esclarecimentos” do tal SINACEG são uma confissão expressa da patifaria e do crime contra a ordem econômica. Eles afirmam que as denúncias vêm de duas décadas o que revela que há 20 anos eles vêm praticando cartel, massacrando a concorrência e agindo numa tremenda Máfia. Aqui em Brasília, vou imprimir a “Nota” desse Sindicato e encaminhar ao CADE. Produziram excelente prova contra eles mesmos.

      Resposta
  • 19/10/2019 em 19:56
    Permalink

    Transportar via malha ferroviária e cabotagem. Abrir transporte para quem quisesse transportar, tem tantos caminhoneiros sem frete. Abrir ao mercado esse filão que está na mão de poucos. Frete certinho, sem crise fica fácil.

    Resposta
  • 19/10/2019 em 10:52
    Permalink

    Quando você compra um carro OK em uma concessionária aqui na grande S Paulo por exemplo, se não houvesse a máfia do transporte você pagaria em média R$ 300,00 de frete, mas com a máfia você paga em média R$ 1.800,00.

    Resposta
  • 19/10/2019 em 10:47
    Permalink

    a Polícia Federal também deve investigar as do rio grande do sul que é outra máfia que existe por la ok.

    Resposta
  • 19/10/2019 em 10:44
    Permalink

    É uma máfia , que tem por trás partido político e até ex presidente preso.

    Resposta
  • 19/10/2019 em 07:06
    Permalink

    E ao que parece, tem mafioso aqui defendendo o crime e a ilegalidade. Doido pra ir para o xilindró com os demais integrantes da Máfia…

    Resposta
  • 18/10/2019 em 21:26
    Permalink

    Se quebrarem o tal cartel não vai mudar nada pra melhor. Simplesmente a única classe do transporte brasileiro que é unida vai se transformar na mesma bagunça na mesma Merda que são as outras classes. Deveríamos de se unir botar na mesa. Nos valorizamos em vez de ficar criticando o trabalho dos cegonheiros. Fazer o mesmo lutar pelo melhor para nós todos. Mais nos somos umas antas verdadeiros burros de cargas sem valor nenhum….

    Resposta
    • 20/10/2019 em 06:54
      Permalink

      Não é o trabalho dos cegonheiros o problema. O problema é o setor ser dominado por meia dúzia de empresas e ninguém poder entrar.

      Resposta
  • 18/10/2019 em 19:10
    Permalink

    Tomara que a justiça quebre a maior máfia do transporte brasileiro.

    Resposta
    • 18/10/2019 em 21:29
      Permalink

      Quebrar pra quê??? O que que vc vai ganhar com isso???

      Resposta
      • 20/10/2019 em 06:56
        Permalink

        Concorrência. Todo setor fechado traz prejuízo aos consumidores. Se um dia você puder escolher quem vai trazer seu carro novo talvez pague 500 ao invés de 1800.

  • 18/10/2019 em 16:48
    Permalink

    Sacanagem isso que estão fazendo se todas as outras categorias do transporte foce unida como a dos cegonheiros o transporte não taria essa bagunça que é hoje não teria tantos caminhões rodando em pecimas condições

    Resposta
    • 20/10/2019 em 14:22
      Permalink

      Falou tudo ….
      Se todas os setores do transporte fossem unidos como os cegonheiros pode ter certeza q estaríamos bem melhor…
      Mas é um querendo pegar o serviço do outro baixando cada vez mais o frete…Aí fica a merda q tá…
      Todo mundo quebrando…..

      Resposta
  • 18/10/2019 em 15:52
    Permalink

    Esse Sindicato, se confirmadas as denúncias, deve ser fechado, dissolvido pela Justiça. Isso não é atividade econômica decente; é uma máfia…

    Resposta
  • 18/10/2019 em 14:21
    Permalink

    Julio Simões compra todas e sobra muito ainda!!
    Máfia!

    Resposta
    • 18/10/2019 em 16:52
      Permalink

      Concordo com você amigo sem falar que a Júlio Simões vive explorando seus agregados

      Resposta
  • 18/10/2019 em 13:03
    Permalink

    Agora que decidiram investigar ?? Todos têm conhecimento de como são as operações cegonheiras . Um caminhoneiro comum não consegue entrar no meio deles . O cartel é sabido por todos . Seria de se estranhar que o sindicato agisse de outra forma . É um grupo tão fechado que nem mesmo uma empresa gigantesca como Jsl conseguiu colocar os pés lá .

    Resposta
    • 19/10/2019 em 10:38
      Permalink

      Você sabia que tem partido político por trás desta máfia. Dizem que o Lula tem umas 30 vagas na cegonha .

      Resposta
  • 18/10/2019 em 11:18
    Permalink

    Irmão uma.vaga de cegonha custa coisa de dois milhões . É só cachorro grande: sada
    , Brazul, autoport, Gabardo entre outras que dominam a parada num passado não muito distante o sindicato fechou a porta das montadoras em virtude da Júlio Simões tentar entrar no páreo

    Resposta
  • 18/10/2019 em 10:46
    Permalink

    Esse topo de operação deveria ser feito com empresas que transportam caminhões zero e cobram o que querem e não repassam reajustes aos seus colaboradores

    Resposta

Deixe sua opinião sobre o assunto!