Caminhões FNM voltarão a ser produzidos ainda esse ano

por Blog do Caminhoneiro

Sucesso incontestável nas décadas de 1960 e 1970, os caminhões da Fábrica Nacional de Motores, conhecidos como FNM ou FeNeMê, voltarão a ser produzidos em versões totalmente elétricas. Originalmente, a Fábrica Nacional de Motores, uma estatal, operou entre 1942 e 1988, produzindo os primeiros caminhões em 1949, sob licença da Isotta Fraschini, passando posteriormente, em 1958, a produzir modelos Alfa Romeo.

A nova FNM é do Rio Grande do Sul, uma startup que vai produzir caminhões elétricos a bateria, de 13 e 18 toneladas de PBT, em versões batizadas de 832 e 833.

A nova FNM já foi devidamente registrada no INPI, e os novos caminhões são soluções em mobilidade elétrica de alta tecnologia. A montadora também conta com projetos de ônibus elétricos, além de sistema “RePower” , para remotorização de veículos diesel para elétricos, onde produzirá veículos para uma logística sem poluentes, silenciosa, segura, sustentável e sem carbono para transporte de cargas e de passageiros.

A marca é de propriedade de José Antonio Severo Martins, o Zeca, e seu irmão Alberto Martins, ambos de Caxias do Sul. A montadora está desenvolvendo os novos caminhões FNM com base em modelos fabricados em Caxias do Sul, com cabine de fibra de vidro. Além da tecnologia elétrica, os novos caminhões FNM recebem a dianteira da cabine que remete aos modelos fabricados nos anos 1960.

Além da tecnologia em motores, baterias, subsistemas e inversores elétricos, que são nacionais e importados, a nova FNM também utiliza tecnologias inovadoras, como o nióbio, na composição de chassis, freios, suspensões, rodas, compósitos especiais, e demais peças e estruturas, visando aumentar a resistência, performance, autonomia e diminuir peso.

De acordo com a montadora, os novos caminhões FNM começarão a ser entregues ainda esse ano, em um sistema de demanda pré-contratada.

Além do desenvolvimento dos caminhões, a montagem em Caxias do Sul também vai trazer novas empresas para a região, para produção local de componentes, reduzindo custos da nova FNM com importação.

 

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

COMENTAR

QUER ENTRAR EM CONTATO COM O BLOG DO CAMINHONEIRO? ENVIE UMA MENSAGEM CLICANDO NO NÚMERO ABAIXO

042-3532-4235

42 comentários
8

Artigos relacionados

42 comentários

Demétrio 16/07/2020 - 12:34

O que vai pra frente neste País é virar político e encher os bolsos e alimentar os gados em fazendas pois o resto não há interesse algum.

Reply
LUIS SILVERIO GONÇALVES SILVA 15/07/2020 - 07:06

Bhaaa… é mesmo!!!! Concordo … parece fake!!!!
Quê pena!!!

Reply
LUIS SILVERIO GONCALVES SILVA 15/07/2020 - 06:59

Quê pena ,não vai dar em nada, prestem atenção…
Porquê até hoje nuca conseguimos têr a nossa própria indústria automobilística? Garanto- lhes quê não é por incompetência!
Lembrem da nossa poderosa Marcopolo ! Quê só “pode” produzir a carcaça dos nossos belíssimos ônibus!! Pois tem quê montá-los sobre chassi de empresas estrangeiras!
Entenderam? É muito triste isso!

Reply
João Ricardo 16/07/2020 - 00:00

Rapaz, dá uma estudada antes de passar mico na Internet,
Marco Polo é a maior empresa de produção de carrocerias do mundo, de fato, eles não produzem não chassis e motores, até cogitaram, várias vezes, tanto aqui no Brasil, na Índia e China, o mais próximo que chegaram foi a parceria que fizeram com a TATA, fundando a tata marcopolo

Mas porque ela não produz chassis nem motores?
Ela economiza com linhas de produção além disso podem brincar com a oferta e procura no de chassis no mercado, o que ajuda seus lucros recordes.
Inclusive, normalmente quanto a marcopolo compra uma fabricante de carrocerias, a primeira coisa que fazem é eliminar linhas de chassis, para cortar custos…

Agora, se quer falar sobre ônibus, podemos falar que as carrocerias que a Marco Polo mais exporta, são montadas em chassis da agrale

Reply
Vinícius 13/07/2020 - 20:08

Fraquinhos, não vão aguentar essas estradas ruins, cheias de imperfeições.
Além disso, não podem passar por áreas alagadas por que as baterias atrás das rodas podem entrar em curto circuito se ficarem submersas; caminhões de brinquedo.

Tenho em mente projetos alternativos à caminhões e carros movidos a combustíveis fósseis E essas porcarias eletrificadas. Vejam o que acontece com os carros e caminhões da Tesla, por exemplo. Essas baterias, quando muito tempo em uso no dia a dia, estufam começam a vazar lítio, o mesmo que acontece com os capacitores das placas mãe dos computadores e notebooks, só que com uma diferença perigosa: as baterias dos veículos elétricos PEGAM FOGO quando o lítio sai delas. Ou seja, nenhuma robustez.

Como já mencionei, tenho projetos mais interessantes de uso dos combustíveis alternativos aos fósseis nos motores à explosão e inclusive novos tipos de motores que aproveitam melhor a energia interna e podem ser combinados à um novo sistema de desulfurização que anula as emissões de gases e aumenta a economia de combustível, sendo que esses já não serão mais de origem fóssil.

Deixem a pandemia acabar que eu vou procurar a diretoria de uma empresa multinacional famosa por motores muito robustos e duráveis.

Reply
eletrobon 13/07/2020 - 19:27

qostaria de compra um basculante toco para minha loja de material de construcao

Reply
Marcos Roberto da Silva 12/07/2020 - 20:02

Olá na minha opinião esses caminhões deveria sair com cabine leito ? Porque hoje as entregas estão mais demoradas aí tem que pernoitar é a cabine leito é ideal!

Reply
José teles da silva 12/07/2020 - 17:19

Gostaria de saber qual à autonomia quanto custa qual a forma de revenda q sera usada.

Reply
Jeová Alencar Galvão 12/07/2020 - 16:56

Parabéns aos idealizadores dessa marca de caminhões, lembro muito da minha infância. Tomara ver logo um desses rodando por ai. Temos que dar mais valor a nossa marca nacional e industria nacional.

Reply
Vicente Paulo Gonçalves. 12/07/2020 - 15:14

Boa tarde, ótima notícia, fui mecânico de motores diesel, tive um grande contato com essa marca. Abraços.

Reply
Dauro fernandes 12/07/2020 - 14:09

Trabalhei com um fnm numa terra planagem em 1979.

Reply
Fábio Carvalho 12/07/2020 - 13:14

Que notícia maravilhosa, Deus abençoe que de tudo certo , uma fábrica nacional de caminhões isso é espetacular

Reply
Francisco 12/07/2020 - 11:02

Gostei de ver e saber que o empreendedorismo dos nossos empresário está muito acima dos que só ficam criticando a nossa industria. Parabéns pela iniciativa valorosos guerreiros sobreviventes de uma industria sacrificada pela maioria dos nossos governos retrógrados que só sugaram de nó s.

Reply
Caicara Locacoes 12/07/2020 - 10:53

Show de bola !!! quero saber quando estara disponível pra venda.. E valores? Vo buscar o meu assim q tiver disponivel .. Parabens aos idealizadores do projeto??!

Reply
Caicara Locacoes 12/07/2020 - 10:53

Show de bola !!! quero saber quando estara disponível pra venda.. E valores? Vo buscar o meu assim q tiver disponivel .. Parabens aos idealizadores do projeto!!!

Reply
Luiz Jahir De Zorzi Júnior Ziza 12/07/2020 - 08:36

Futuro do transportador urbano ( lojas, bebidas, alimentos/supermercados, COLETA DE LIXO, ÔNIBUS URBANO, manutenção de redes elétricas urbanas, bombeiros) quantas possibilidades que reduzirão poluentes co2 e também ruídos….) Parabéns aos envolvidos!!!!

Reply
ROGERIO CAMINHONEIRO 12/07/2020 - 07:38

Tem que ter um motor a combustão atuando em conjunto. Servirá para aumentar a potência em casos eventuais e tb em emergencia, quando a energia acabar.

Reply
Vander Voltolini 12/07/2020 - 00:33

Quando ainda criança, lembro de ir para os jogos de futebol nos bairros e cidades vizinhas, na carroceria de um FNM e detalhe, fazendo o aquecimento, ou seja, batendo uma bolinha, com o caminhão 🚛 em movimento. Pensa na maravilha que isso era ainda mais quando passava por uma lombada 😀

Reply
Benjamim Souza 11/07/2020 - 23:44

Muito legal com essa cabine. Remete aos velhos tempos, dos velhos e bons FNM. Desejo sucesso!

Reply
Ronildo Martins Franco Franco 11/07/2020 - 19:23

Manda o meu

Reply
Celestino Gonçalves Filho 11/07/2020 - 18:16

Se fosse Diesel já iria sofrer com a concorrência, imagine elétrico. Sonhar todo mundo pode.

Reply
Pedro Prudêncio de Oliveira 11/07/2020 - 15:39

É o Velho barulho vai aparecer?
Saudade da época em que esse caminhão era suceso

Reply
Pedro Prudêncio de Oliveira 11/07/2020 - 15:36

É o Velho barulho, vai aparecer?

Reply
Osvaldo Gioseffi Filho 11/07/2020 - 14:08

Adorei o caminhão FNM ser reinventado na sua época era único aprendi e trabalhei em 180 passe longe tenho muito orgulho disso parabéns pela iniciativa espero com certeza que de muito certo parabéns 👏👏👏👏👏

Reply
Romilson Camargo 11/07/2020 - 13:23

O novo “Bi tá tá” parece mais um constelation!!!

Reply
Ronaldo Dornelles 11/07/2020 - 12:12

Finalmente uma notícia boa. Não existe nenhum país do G7 que não tenha fábrica de carro nacional, a minha dúvida é o Canadá. Quando vi o design do FNM fiquei com a sensação de vulnerabilidade do motorista num caso de batida de frente. Pensei na velha e boa kombi cujo para-choque era a canela do mororista mas mesmo assim foi um projeto de sucesso por 60 anos. Seria interessante a divulgação dos dados de autonomia, custo por km rodado, pontos de recarga, durabilidade e descarte das baterias, configuração do veículo, etc. Mas entendo que esses dados virão oportunamente e podem até fazer parte da estratégia de lançamento. Me resta desejar boa sorte ao projeto e à toda equipe participante. De Santa Maria, atualmente em Brasília.

Reply
Vinícius 11/07/2020 - 11:43

Vade retro Satanás! Se o FNM à explosão era ruim, imagina uma praga dessas à bateria. Fracos, não vão aguentar a pressão do dia-a-dia do trabalho e as estradas ruins e nem podem chegar perto de áreas alagadas por chuvas.

Já tenho ideias pra patentes de novos motores à explosão movidos à combustíveis alternativos aos derivados do petróleo, bem como já existe na Suíça um sistema novo de desulfurização em desenvolvimento, melhor que os atuais sistemas catalisadores de gases. Combinando combustível de origem vegetal + esse novo sistema, a economia é maior e a poluição é ZERO!

Mas esse novo FNM, meu Deus do Céu, já nasceu morto. Deixa eu achar a diretoria da Caterpillar pra esses amadores verem, tenho uma proposta de um caminhão que será uma alternativa à esses caminhoezinhos fraquinhos movidos à bateria.

Reply
Ailton Fernando Morotti 11/07/2020 - 11:32

quero ser vendedor de caminhões F N M novamente

Reply
Geraldo Mesquita 11/07/2020 - 10:40

Parece até fake

Reply
Marcos Barberatto 11/07/2020 - 08:19

A princípio pensei que fosse um Constallation. Parabéns pela iniciativa, porém eu particularmente não gostei do modelo. Em minha opinião, não adianta querer misturar o novo com o velho ou seja, estamos no século XXI, e querer trazer o “mesmo modelo” modernizado….. Acredito que faria muito mais sucesso se trouxessem uma cabine totalmente remodelada sem se plágio (como disse no início parece um Constallation) e com motores potentes para médias e longas distâncias. Hoje com tantas leis de restrições, terá que competir no mercado de SUVs, o qual a demanda é grande e já há os líderes de mercado.

Reply
José A.Oliveira 11/07/2020 - 08:10

Brasil, um país esquecidos dos brasileiros. Se olharmos para trás muito coisa boa, já existiu. Fico feliz por esta iniciativa de trazerem um Caminhão FNM em nova versão. Parabéns, sucesso e que DEUS abençoa hoje e sempre.
Ribeirão Preto-sp. 11/07/2020

Reply
ADRIANO ALVES DE OLIVEIRA 11/07/2020 - 06:31

Top parabens pela iniciativa de reviver esse icone.Gostei da cabine lembra o modelo 68 .

Reply
Osvaldo Pereira de Almeida 10/07/2020 - 21:44

Ola então como muitos já comentaram a respeito do novo FNM , muitos gostaram outos ficaram encima do muro e alguns não sabia o que falar a respeito do caminhão tá mas vamos a minha opinião : a ideia e ótima só que tem na minha opinião algumas falhas tá (Primeira ser lançado no sistema de consumo elétrico , segundo a tradição do FNM e ronco dele e como e chamado de João bobo , outro detalhe qual a quilometrais desta bateria e mas se o governo pede para o povo fazer economia de energia por falta de água e agora vocês que fabricar caminhão elétrico tá errado se o governo aprova lembra de uma coisa tá falando do sistema de combustível na do caminhão .) Eu sei que não vou mas dirigir ou fazer manutenção dele nem elétrico ou mesmo mecânico o meu tempo passou mas eu gostava muito de fazer a manutenção dele , está e minha opinião fico com orgulho de ver estes caminhão de volta na estradas do nosso país .

Reply
Miyasaki 10/07/2020 - 19:00

Muito bom! Parabéns pela iniciativa e escolha da marca. Nosso país necessita muito de projetos e desenvolvimento legítimos nacionais. Desejo muito sucesso ao empreendimento.

Reply
Osmar Cesar 10/07/2020 - 16:54

Sugestão de design. manter as tradicionais portas “suicidas”. Aí é FNM.

Reply
Flavio 12/07/2020 - 09:34

Aqui algumas pessoas comentam, outras dão opinião mas para aquelas que estão criticando o projeto sem saber praticamente nada sobre ele quero perguntar, enquanto este projeto está sendo criado vc está fazendo oque de melhor pra está categoria?
Se nada então não precisa responder..

Reply
Sergio 10/07/2020 - 16:25

Temos que valorizar uma iniciativa nacional, empresa automotiva brasileira. Parabéns aos empresários e muito sucesso.

Reply
ROQUE ROBERTO PEREIRA DA SILVA 10/07/2020 - 13:59

OS FENEMES SEMPRE TIVERAM A FAMA DA AMPLITUDE DA SUA CABINE, NÃO GOSTEI DO PROTOTICO, ESTÁ PARECIDO COM AS LATAS DE SARDINHA QUE JÁ TEMOS NO MERCADO.
QUANTO A MOTORIZAÇÃO ELÉTRICA, É UMA ÓTIMA SAÍDA PARA A SUSTENTABILIDADE ECOLÓGICA.
MAS A F.N.M. DEVERIA REEXPLARAR,SUAS TECNOLOGIAS,EM MOTORES A EXPLOSÃO; PORQUE NOS ANOS 50/60, FAZIAM SUSSESO,EU E OS DEMAIS CONHECEDORES DA MARCA,ADQUIRIAM UMA UNIDADE, COM TODA CERTAZA.

Reply
Ricardo Takayuki Ishida 10/07/2020 - 12:44

Parece ser a mesma cabine do Agrale 14000 com a frente que remete os fenemes da época.! Gostei tomara que de certo o transporte sustentavel com esse modelo!

Reply
Ademar de paula 10/07/2020 - 11:38

Essa gabina custa quanto tenho um fnm 180

Reply
Celso TAC 10/07/2020 - 11:17

Faltou na matéria, informar sobre o preço.

Reply
ivonatto 10/07/2020 - 07:47

Um caminhão que chega para somar.

Reply

Escreva um comentário