Coluna Mecânica Online – Indústria 4.0 – Os processos e componentes desse novo ciclo

por Blog do Caminhoneiro

Segundo os especialistas o processo de introdução e aplicação dos conceitos de Indústria 4.0 só estarão completamente adaptados nos próximos 20 anos, ou seja, até 2040, então, vamos com calma, pois ainda estamos dando os primeiros passos.

A tecnologia sempre foi o fator determinante das revoluções industriais. Portanto, se novas tecnologias surgem, novas necessidades são criadas. Nesse cenário é importante deixar claro que a adaptação a novas tecnologias não é uma opção, é obrigatória!

Se uma indústria não utiliza as novas ferramentas que surgem no mercado, as suas concorrentes usarão, a produção não acompanhará o ritmo delas e seus clientes exigirão a mesma agilidade e qualidade na entrega.

Ao longo da história já passamos por três revoluções industriais – a produção mecânica, produção em massa e por último a produção automatizada, impulsionada por componentes eletrônicos e robóticos a partir da década de 1970.

Agora temos a transformação digital com a era das máquinas inteligentes integradas com a internet e programação à distância.

Sistemas de armazenamento e instalações de produção podem trocar informações de forma autônoma, desencadear ações e controlar processos sem a intervenção humana.

Eu lembro de uma estorinha que dizia que o futuro da manufatura seria o resultado do trabalho de uma máquina e de um cachorro. A máquina funcionando, fazendo sua atividade, enquanto o cachorro estava lá para não deixar ninguém chegar perto do equipamento, já pensou?

O principal desafio da indústria 4.0 é a adaptação em todos os aspectos culturais, administrativos e tecnológicos da empresa. A transformação do foco no produto em foco no cliente é a mudança de maior impacto e abrange diversos pontos cruciais da administração e produção.

A transformação da Indústria 4.0 passa pela estratégia, pessoas, culturas, processos, metas e estrutura organizacional.

A estratégia agora é criar a melhor solução para o cliente e não simplesmente o melhor produto; A preocupação com as necessidades das pessoas antes da criação apenas de novos produtos; Valorização das pessoas com a visão do cliente é uma meta mais importante que apenas fazer lançamentos de novos produtos; Os lucros e perdas agora giram nos clientes e não nos produtos.

Tudo isso trabalhando com a segurança de dados, capital empresarial, empregabilidade, privacidade e transparência.

Não temos outro caminho, tudo será digital. Os sistemas serão na nuvem – demanda através da internet; Grande quantidade de dados que precisarão de processamento cada vez mais rápido para análises, o famoso “big data” – volume, velocidade e variedade; Maior aplicação da inteligência artificial; Automação de processos industriais e a Internet das coisas – em nosso estilo de vida, como também na indústria (maior uso de sensores por exemplo); Mobilidade; Realidade aumentada; Biologia sintética e Sistemas ciber-físicos.

Inovar é preciso e a indústria 4.0 estará conectada com o digital e integração entre seus componentes / sistemas, de forma que a automação de processos vai depender de máquinas inteligentes, transmissão e análise das informações em tempo real, pois, quem tem informação tem poder.

Como a nossa coluna é publicada todos os dias 10, 20 e 30, só voltamos dia 10 de março. Um forte abraço e muito cuidado com essa pandemia.

Mecânica Online

Carro impopular – É cada vez mais difícil para o trabalhador realizar a conquista da compra do seu veículo. O carro antes popular, agora fica novamente distante da renda das pessoas e também para a indústria tem ficado caro manter a produção de modelos assim.

Transporte por aplicativo – O melhor dos mundos seria a opção de escolha, mas com o surgimento das opções de veículos por aplicativos e os altos custos de aquisição e principalmente impostos, as pessoas passam a utilizar mais aplicativos para realizar seus deslocamentos.

Etanol caro – Dizer que a lei da procura e oferta faz o etanol subir de preço quando a gasolina aumenta parece até piada, de muito mal gosto. É automático, aumenta a gasolina e no mesmo instante aumenta o etanol, ficando sempre naquela faixa que nunca vai compensar abastecer com o etanol. Quem sofre com tudo isso é o cliente, que apesar de ser o rei na hora da compra, é tratado como palhaço sem ter nenhum direito justo que o proteja.


Tarcisio Dias é profissional e técnico em Mecânica, além de Engenheiro Mecânico com habilitação em Mecatrônica e Radialista, desenvolve o site Mecânica Online® (www.mecanicaonline.com.br) que apresenta o único centro de treinamento online sobre mecânica na internet (www.cursosmecanicaonline.com.br), uma oportunidade para entender como as novas tecnologias são úteis para os automóveis cada vez mais eficientes.

COMENTAR

QUER ENTRAR EM CONTATO COM O BLOG DO CAMINHONEIRO? ENVIE UMA MENSAGEM CLICANDO NO NÚMERO ABAIXO

042-3532-4235

Artigos relacionados

Deixe sua opinião sobre o assunto!