Sindicatos lançam campanha contra o excesso de peso em caminhões

por Blog do Caminhoneiro

Um grupo de sindicatos criaram uma campanha que visa conscientizar os transportadores de cargas da construção civil para o respeito aos limites de carga no transporte de agregados e subprodutos, como areia e brita.

O Sindicato da Indústria de Mineração de Pedra Britada do Estado de São Paulo (Sindipedras), o Sindicato das Indústrias de Mineração de Areia do Estado de São Paulo (Sindiareia), a Associação Paulista das Empresas Produtoras de Agregados para Construção (Apepac) e a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) criaram o Movimento Responsabilidade de Peso.

A campanha já ganhou vários adeptos no estados de São Paulo, e começa a ganhar cada vez mais espaço em Minas Gerais e em outros estados brasileiros.

“O propósito dessa iniciativa é o de mobilizar e engajar produtores, transportadores, clientes, consumidores de brita e o setor público em uma ação de responsabilidade social, que se efetivará por meio da realização de uma condução adequada e adaptada às normas e leis vigentes. Para tornar as estradas menos perigosas e mais organizadas, o projeto incentivará uma conduta mais respeitosa e honesta entre os motoristas de veículos de grande porte e os conscientizará sobre a importância de compreender o espaço dos demais usuários das rodovias e obedecer aos limites de peso das cargas em translado”, explica o superintendente do Grupo MBL, Jerri Alves.

Para Jerri, cada participante dos processos de transportes precisam assumir sua responsabilidade para colocar o movimento em prática.

“Os produtores devem fazer um controle minucioso do peso das cargas que serão conduzidas. Para isso ele necessitará de equipamentos de precisão e do auxílio de profissionais qualificados no embarque de produtos. Em cada uma das viagens, eles também deverão emitir e incluir selos de ‘certificação de peso’ nas notas fiscais dos materiais que serão entregues. Esse tipo de inspeção garantirá maior segurança, durabilidade de pavimento e o desenvolvimento de uma concorrência mais justa”, ressalta.

Aos clientes caberá a função de observar, verificar e expor a existência de eventuais irregularidades em contratos, atendimento ou intermediação de pedidos. “Para ter um comportamento ético, os transportadores autônomos e as empresas de logística devem se comprometer a não adicionar cargas de outras origens durante o percurso. Dessa forma, o peso máximo previsto em lei será respeitado. Essa atitude ainda impedirá a geração de danos a arrecadação fiscal. É preciso lembrar que a conservação e manutenção dos veículos também são essenciais para a segurança do transporte”, destaca.

Por fim, Jerri ressalta que o Sindipedras disponibiliza materiais para a adesão ao movimento no site www.sindipedras.apepac.org.br/movimento. Entre os elementos estão os selos para notas fiscais, adesivos para caminhões, placas para expedição e entre outros informativos para produtores, clientes e transportadores.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

COMENTAR

Artigos relacionados

Deixe sua opinião sobre o assunto!