Empresa dos EUA desenvolve motor diesel dois tempos com pistões opostos que é mais eficiente que os convencionais

por Blog do Caminhoneiro

Um motor a diesel completamente diferente do que conhecemos hoje em dia, que queima menos combustível, poluí menos e produz a mesma potência e torque de motores convencionais com a cilindrada bem maior que a dele.

Esse é o motor diesel, com ciclo dois tempos, equipado com pistões opostos, com 10 litros de cilindrada, desenvolvido pela empresa Achates Power. Assista o vídeo abaixo para entender o funcionamento.

Um motor convencional tem um pistão que sobe e desce em cada cilindro, com ciclo de quatro tempos, onde o combustível e ar entram, são comprimidos, explodem e os gases são expelidos. O conjunto ainda tem válvulas, injetores, e outros sistemas para a completa combustão do combustível.

O motor da Achates Power tem dois pistões em cada cilindro, que recebem o combustível e explodem, empurrando os dois cilindros em direções opostas. Não existe cabeçote. Esse tipo de motor não é novo. Foi usado em veículos, navios e até aviões ao longo do século 20, mas caiu em desuso.

O motor de 10 litros, com 3 cilindros e 6 pistões, terá a mesma potência e torque de um motor convencional de 15 litros de cilindrada. De acordo com a Achates, a empresa tem capacidade para desenvolver motores de 4 a 20 litros de cilindrada, com potências entre 300 e 1.500 cavalos. Para exemplificar, o Cummins X15, de 15 litros e 6 cilindros, oferece até 605 cavalos de potência.

Entre os benefícios do motor da Achates Power, está o menor consumo de combustível, já que esse tipo de motor tem maior potência com menor cilindrada, e o combustível é queimado de forma mais eficiente.

Testes também indicam que esse motor tem emissões de poluentes muito menores do que os melhores caminhões com motores convencionais produzidos hoje em dia.

Além disso, é um motor mais simples, sem cabeçote e válvulas, o que pode oferecer um custo de manutenção menor, e até uma durabilidade maior, devido ao menor número de componentes.

A boa notícia é que uma tecnologia como essa pode entender a vida útil do diesel no setor de transportes, em uma época em que muito se fala em parar de usar o combustível em veículos comerciais, em nome da redução das emissões de poluentes.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

7 comentários

Claudio Volber 13/05/2021 - 08:36

Isso é antigo já, porém os fabricantes de veículos a diesel estão resistindo a adotar esse tipo de motor, provavelmente só vão aderir a esses motores quando não conseguirem mais cumprir as legislações de emissões com os motores atuais.

Reply
Douglas Charles Cunha 13/05/2021 - 07:27

No artigo fala que já existe, mas que caiu em desuso.

Reply
Adriano Liveranski 13/05/2021 - 06:54

E como ocorre a lubrificação dos pistões de cima?
Se for por sistema de esguicho não é suficiente.
Creio que um motor deitado como nos ônibus volvo B10M seria melhor.

Reply
CÍCERO PERUCI RODRIGUES 13/05/2021 - 03:09

Quando isso vem pro Brasil??

Reply
JOSE GERALDO MACHADO FONSECA 12/05/2021 - 19:00

Isso aí já existe desde 1950 na Inglaterra. Motores commer já usavam essa configuração. Até na alemão tinha motor junker também com pistões opostos usado na aviação.

Reply
Vinícius de Oliveira 12/05/2021 - 16:55

A tecnologia eles já tem, uns 3 anos atrás eles levaram pra uma exposição em Chicago uma versão 2.7 que equipava uma f150, ele funciona por compressão assim como o diesel e fazia o mesmo CV e torque com diferença que o consumo com diesel é 42mpg e gasolina 37

Reply
Vinícius 12/05/2021 - 12:59

Aí SIM! Os motores vão evoluindo para ficarem ecologicamente corretos e com potência e torque aumentando!

Tomara que a Achates Power desenvolva motores flex com um sistema semelhante ao do motor diesel.

Reply

Deixe um comentário!