Librelato cresce acima do mercado neste ano

por Blog do Caminhoneiro

A Librelato cresceu 93% entre janeiro e maio, enquanto o mercado de implementos da linha pesada cresceu 82%. A receita líquida da empresa foi de US$ 110 milhões.

No total, o crescimento do mercado nacional de reboques, semirreboques e carrocerias sobre chassis foi de 67,56%, enquanto as exportações cresceram 182,76% até o mês de maio, segundo dados da Anfir – Associação Nacional dos Fabricantes de Implementos Rodoviários.

Para a Librelato, o agronegócio aquecido tem sido o grande impulsionador de vendas, responsável por mais de 60% das operações.

“A renovação dos equipamentos no campo está puxando as vendas, assim como a volta da construção civil e as novas concessões de infraestrutura potencializam os negócios. Atualmente, dois terços do PIB brasileiro rodam em semirreboques. O agronegócio representa um importante mercado para a Librelato, que possui diversos produtos em seu portfólio desenvolvidos para esse mercado, como as linhas graneleira e basculante, que inclui semirreboques, bitrens, rodotrens e tritrens basculantes”, disse José Carlos Sprícigo, CEO da Librelato.

Apesar das altas nas vendas, a falta de insumos para produção ainda tem impactado a linha de montagem da Librelato, sendo o maior desafio para o mercado na recuperação pós-pandemia.

“A alta demanda da cadeia, afetada pela pandemia, aumentou os custos e reduziu os estoques. É preciso administrar a escassez de peças e insumos com estratégia. Mas, acreditamos em um 2022 mais equilibrado entre oferta e demanda”, afirmou o executivo.

Atualmente, a Librelato está produzindo 60 unidades por dia, com previsão de crescimento de 15% em 2022. Nas exportações, a Librelato também registra bons números, com 400 produtos exportados no ano passado, resultado comprometido pela crise sanitária que atingiu todos os países. A expectativa para 2021 é de exportar mais de mil produtos. Essa performance coloca a Librelato como segunda maior exportadora de semirreboques do Brasil.

Investimentos

Para manter o crescimento e a retomada econômica, a Librelato prevê investir aproximadamente seis milhões de dólares até o final de 2021 em tecnologia. Os investimentos têm objetivo de implantar melhorias em seus processos de produção e consequentemente desenvolver produtos que possam oferecer mais segurança nas estradas.

Entre elas está a implantação do sistema MES – Manufacturing Execution System, que gerencia e monitora todos os processos de trabalho da planta industrial, fornecendo informações em tempo real provenientes de máquinas robôs, além de monitorar as atividades das pessoas.

“O sistema MES compara o que foi planejado com o que realmente está sendo executado, podendo otimizar toda a linha de produção, desde o momento em que a ordem é emitida até o embarque dos produtos finais”, explica o executivo.

Além dos novos processos de gestão, a Librelato lançará em breve sua linha 2022, que inclui três novos produtos, desenvolvidos após longos processos de pesquisa e desenvolvimento, sempre focados na inovação, segurança e alta tecnologia.

Desde 2019 a empresa oferece a seus clientes a opção aos clientes dos implementos saírem de fábrica totalmente conectados, tecnologia que possibilita aos frotistas e transportadores uma gestão inteligente do transporte.

Os novos implementos devem vir equipados com o sistema EBS, que tem previsão de obrigatoriedade a partir de 2023 no Brasil. A tecnologia melhora a estabilidade, diminuindo o risco de tombamento dos implementos nas curvas. O sistema EBS – Eletric Brake System é instalado próximo às rodas e regula a pressão do freio, além de calcular a intensidade da frenagem que o motorista aplicará e quanto de pressão será necessário na frenagem.

Outro destaque de P&D – Pesquisa e Desenvolvimento da Librelato é a eficiência energética aplicada no design dos produtos, com soluções técnicas que trazem maior capacidade de carga, melhor aerodinâmica e maior vida útil, além de eixo propulsor e placas solares.

“A Librelato se orgulha de ser uma das implementadoras mais inovadoras do Brasil. Buscamos sempre gerar valor e segurança nas estradas, bem como ampla disponibilidade do produto aos clientes para que os frotistas e o setor de transportes como um todo possam obter a melhor gestão de sua frota, em qualquer parte do País”, finaliza.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

Deixe um comentário!