MAZ 7917 – O gigante e assustador transportador de mísseis da Guerra Fria

por Blog do Caminhoneiro

Depois do final da Segunda Guerra Mundial, no ano de 1945, o mundo viu uma paz temporária até o início de uma guerra sem nenhum tiro disparado. No ano de 1947, até 1991, todo o planeta estava sob a tensão da Guerra Fria, um conflito ideológico entre o comunismo da União Soviética e o capitalismo, dos Estados Unidos.

Apesar de não haver um conflito direto entre os dois países, ambos participaram de diversas guerras de menor porte, financiando ou participando diretamente, com fornecimento de armamentos e equipamentos, dinheiro, treinamento e militares.

Uma das batalhas travadas na Guerra Fria foi a corrida armamentista, buscando ter armas melhores, mais sofisticadas e poderosas que o inimigo. Nessa época, a quantidade de bombas nucleares e termonucleares produzidas pela URSS e EUA disparou. Estudos mostram que os dois países chegaram a ter mais de 70 mil bombas atômicas juntos.

Uma das grandes armas criadas durante a Guerra Fria foi o Míssil Intercontinental RT-2PM2 Topol-M, desenvolvido pela URSS. Essa arma era um foguete de combustível sólido, com 22,7 metros de comprimento, pesando 47,2 toneladas no momento do lançamento. Esse foguete podia carregar ogivas de até 1.200 kg, com potência de detonação de 800 kilotons. Para se ter uma ideia da potência da arma, a bomba atômica que arrasou a cidade de Hiroshima, no Japão, em 1945, tinha 15 kilontons.

Para transportar uma armamento tão potente, que poderia ser disparado de, praticamente, qualquer lugar, podendo alcançar qualquer parte do mundo, foi desenvolvido, pela empresa MAZ, o super caminhão 7917.

O MAZ 7917 foi apresentado em 1984, como uma derivação de um projeto que já existia. 402 unidades foram produzidas entre 1985 e 1992. Esse veículo tinha 7 eixos, com 14 rodas, e tração 14×12, podendo rodar praticamente em qualquer terreno.

Sozinho, ele mede 18,7 metros de comprimento, com 3,13m de largura e 2,57 de altura. O peso, vazio é de 34,5 toneladas, e, transportando o míssil, podia chegar a 63 toneladas.

O caminhão é equipado com um motor MAZ V-58-7, com 12 cilindros em V e 38,9 litros de cilindrada, com potência de 710 cavalos. A velocidade máxima era de 38 km/h, e o veículo consumia até 365 litros de diesel a cada 100 quilômetros rodados, uma média de 270 metros por litro de combustível, ou 0,27 km/l.

O projeto inicial desse caminhão deriva do modelo MAZ 547A, que foi o primeiro caminhão desenvolvido para instalação de um lançador de mísseis, o Temp-S, na década de 1970.

O 7917 também era uma evolução do modelo 7916, com maior espaço para a tripulação. O caminhão conta com duas cabines, uma à esquerda, para o motorista e comandante, e outra, à direita, para o operador do sistema de lançamento do míssil.

Além do uso para o qual foi desenvolvido, o MAZ 7917 também poderia ser equipado com estação de rádio, guindaste, ou como veículo de suporte para combates, além do sistema de lançamento de mísseis ter sido usado com sucesso para o lançamento de satélites para a órbita do planeta.

Com o final da Guerra Fria, o veículo foi substituído pelo MZKT-79221. A MZKT é a atual divisão de veículos militares da empresa MAZ. A diferença entre os dois caminhões é o número de eixos, que são 8 na versão atual, maior tecnologia e também o motor, que agora é um YaMZ-847.1, um V12 de 800 cavalos de potência.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

COMENTAR

Artigos relacionados

Deixe um comentário sobre o tema!