Alta nos preços dos combustíveis fez disparar o número de casos de pane seca

por Blog do Caminhoneiro

Um levantamento feito pela Concessionária Rota das Bandeiras mostra que os reajustes constantes nos valores dos combustíveis neste ano aumentaram significativamente o número de ocorrências de pane seca em veículos. De acordo com a concessionária, houve um crescimento de 45% das ocorrências deste tipo neste ano. Entre janeiro e setembro, foram 2.273 atendimentos a veículos parados nas vias por falta de combustível, ante 1.561 em igual período de 2020.

Além de representar uma parada não programada e interromper a viagem, a pane seca pode ser a causa de acidentes e congestionamentos, especialmente em períodos de grandes fluxos de veículos, como neste final de semana, que é um feriado prolongado.

Além disso, se o motorista for flagrado pela polícia com o veículo sem combustível, poderá ser multado. A multa prevista para esta situação é de R$ 130,16 e acarreta 4 pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

“O que percebemos é que boa parte dos motoristas não se adaptou à nova realidade de preços. Ele estava acostumado a fazer um trajeto com um valor de combustível, mas agora precisa gastar mais. O cálculo deve ser feito sempre pela quantidade de litros necessária para a viagem, que não sofre variação”, explica o coordenador de Tráfego da Rota das Bandeiras, Murilo Perez.

O coordenador ressalta que a oferta de postos de combustíveis em rodovias é menor do que nas cidades, e os motoristas devem rodar sempre com uma quantidade de combustível extra no tanque, para evitar que imprevistos, como desvios de tráfego ou congestionamentos, aumentem o consumo e, consequentemente, provoquem a pane seca.

“A reserva do tanque é justamente para situações como estas, mas muitos motoristas acabam incorporando os litros no cálculo do trajeto. Esta é outra prática arriscada”, disse ele.

Em rodovias pedagiadas, se o motorista perceber que não haverá combustível suficiente para chegar até o posto, a orientação é que procure um local seguro para fazer a parda e solicitar apoio da concessionária, ou chamar um guincho privado, em rodovias que não sejam concedidas.

Se for necessário parar na via, o gramado lateral e o acostamento são os locais indicados, mas os ocupantes devem em seguida deixar o veículo pelo lado do carona e buscar proteção atrás de defensas ou barreiras de concreto.

“Um veículo parado, ainda que no acostamento, é um potencial alvo para colisões. Por isso, a necessidade de se proteger antes de pedir apoio à Concessionária ou à seguradora”, conclui Perez.

A Concessionária Rota das Bandeiras tem o número 0800 770 8070 para os motoristas que rodam no Corredor Dom Pedro. O serviço é disponível 24h. Ao chegar ao local e constatar a falta de combustível, a equipe da Concessionária faz a remoção do condutor ou do veículo até o posto mais próximo.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

2 comentários

ANTONIO EZEQUIEL DE ARAUJO NETO 09/10/2021 - 10:36

Quer dizer que se o combustível aumenta de preço os motoristas deixam faltar no tanque e ficam no prego estradas afora? Isso é um pouco sem noção e sem sentido.

Reply
Celestino Gonçalves Filho 08/10/2021 - 13:00

Ridículo, se você tem carro e não tem dinheiro para combustivel, só te resta deixar o veículo em casa.

Reply

Deixe um comentário!