ENTREVISTA: Falta de caminhoneiros no Reino Unido causou corrida aos supermercados

por Blog do Caminhoneiro

A falta de caminhoneiros no Reino Unido tem sido uma notícia recorrente nos últimos dias, em muitos portais de notícias. Com o aumento das informações sobre o problema, foi causado outro problema: A corrida da população aos mercados e postos de combustíveis, para tentar estocar produtos, o que esvaziou os pontos de venda mais rapidamente, causando a falta de produtos.

Para saber o que está acontecendo dentro do Reino Unido, o Blog do Caminhoneiro conversou com Mauro Kviatkoski, brasileiro, de 33 anos, que vive e trabalha em Londres há dois anos e meio. Ele nos contou que após a redução da oferta de produtos pela falta de caminhoneiros, houve corrida aos supermercados, e já há falta de produtos como água e cortes de frango, por exemplo.

“O governo colocou o Exército para trabalhar e ofereceu 5 mil vistos para 3 meses para caminhoneiros europeus, mas eles recusaram, alegando que precisavam de um visto de pelo menos um ano para programar a vida”, disse Mauro em entrevista ao Blog do Caminhoneiro.

Ele também conta que algumas empresas tem oferecido bonificações para quem quiser trabalhar como motorista de caminhão, de até £ 1000,00 (Libras), cerca de R$ 7.520,00, valor parecido com o que é oferecido para evitar que os caminhoneiros já contratados deixem as empresas.

Apesar do governo britânico noticiar o envio de cartas à população, pedindo para que a profissão de motorista profissional seja considerada, Mauro contou que não conhece ninguém que tenha recebido o documento. “Até perguntei para vários amigos e ninguém recebeu”.

De acordo com entidades britânicas, os motoristas de carretas que atuam na região de Londres tem salários de £ 2.110 por mês, cerca de R$ 15,8 mil em conversão direta, mas, como o custo de vida na região é alto, a profissão acaba não sendo interessante, e muitos preferem trabalhos mais fáceis.

“O povo aqui não está muito afim de trabalhar de motorista. O serviço mais leve que eles puderem pegar, eles fazem questão”, pontuou Mauro.

Além da importação de profissionais de outros países da Europa e uso de militares para entrega de cargas essenciais, o governo do Reino Unido anunciou outras medidas, como a facilitação da obtenção da carteira de motorista profissional para os interessados.

Porém, a maioria das medidas tem surtido pouco efeito ou não apresentam efeitos imediatos, e a situação causada pela escassez de motoristas no país deve durar por mais alguns meses.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

Deixe um comentário!