Falta de componentes reduz produção de caminhões

por Blog do Caminhoneiro

A Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (ANFAVEA) divulgou os dados da produção de veículos no país, destacando a queda que ocorreu em setembro, devido especialmente à atual crise de fornecimento dos semicondutores, que tem impactado a fabricação de veículos no mundo todo.

Ao todo, 173,3 mil unidades foram produzidas no último mês, uma diminuição de 21,3% sobre as 220,2 mil de setembro do ano passado. Nos nove meses já transcorridos do ano, a indústria fabricou 1,649 milhão de unidades, o que representa uma expansão de 24% em relação ao volume de 1,330 milhão do ano passado. Apesar do número positivo no acumulado, o número ainda está bem aquém do desejado e esperado. O volume fabricado até setembro foi puxado em sua maioria pelos comerciais leves (+46,5%) e pelos caminhões (+103,7%).

No total, a produção nacional de veículos deve fechar 2021 com 2,129 milhões a 2,219 milhões de veículos fabricados, um aumento de 6% a 10% no comparativo com o ano anterior.

“Nunca havíamos tido tanta dificuldade em enxergar o cenário em curto prazo na indústria automotiva. As incertezas para garantir a produção de veículos é grande com a crise de fornecimento global. Estamos presenciando uma procura por parte dos consumidores para compra de novos produtos, mas não temos unidades para atender à demanda”, explicou Luiz Carlos Moraes, Presidente da ANFAVEA.

Produção de caminhões

De acordo com a entidade, em setembro, foram fabricados 13.816 caminhões no Brasil, número 7,7% menor do que a quantidade produzida em agosto, quando haviam sido produzidos 14.963 unidades.

Apesar do registro de redução no comparativo entre setembro e agosto, na comparação com setembro do ano passado, a produção cresceu 46,5%. Em setembro de 2020, foram produzidos 9.430 unidades.

No acumulado do ano, os números também estão mostrando uma forte recuperação. Foram produzidos entre janeiro e setembro 118.302 caminhões no Brasil, ante 58.075 do mesmo período do ano passado, alta de 103,7% em 2021.

O segmento mais representativo é o de caminhões pesados, com 6.334 unidades em setembro e 57.738 no acumulado do ano, seguidos pelos semipesados, com 4.338 unidades em setembro, e 34.126 no ano. Em terceiro lugar ficam os leves, com 2.088 unidades no mês passado e 19.077 nos nove meses de 2021.

Exportações

No mês passado foram exportados 1.016 unidades, totalizando 8.106 nestes nove meses. O número total de caminhões exportados é 80,4% maior que o total exportado até setembro do ano passado, 4.493 unidades.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

1 comentário

Celestino Gonçalves Filho 08/10/2021 - 12:35

Acionistas hávidos por reduzir custos deram um tiro no pé ao passarem a fabricação de componentes para um País com sede de dinheiro, só que ditadores.

Reply

Deixe um comentário!