Estados Unidos tem 280 mil Green Cards disponíveis para motoristas profissionais qualificados

por Blog do Caminhoneiro

Um recente estudo da Universidade de Michigan, nos EUA, identificou que cerca de 500 mil motoristas de caminhão que realizam transporte de longas distâncias no país podem ser substituídos por condução realizada por robôs, caso o apagão de profissionais não seja resolvido. A motivação para a criação de caminhões autônomos seria sanar gargalos logísticos e de transportes de cargas existentes hoje nos Estados Unidos, causados majoritariamente pela pandemia. No entanto, atualmente, existem cerca de 280 mil Green Cards disponíveis para a categoria EB-3, que contempla esses profissionais, só para o ano fiscal de 2022.

Segundo a advogada brasileira Liz Dell’Ome, fundadora de um escritório sediado em Nova Iorque, especializado em imigração para os Estados Unidos, essa é uma oportunidade para motoristas brasileiros. “As soluções tecnológicas para resolver as necessidade do país norte americano em sua logística, apesar de válidas, ainda não estão prontas e tampouco regulamentadas para serem colocadas em prática”, comenta.

Estimativas de 2019 apontavam que os EUA precisavam de 60 mil motoristas, de acordo com a American Trucking Associations. Esse número deve aumentar para 100 mil até 2023, segundo a entidade. Os salários podem chegar a R$ 62 mil por mês, de acordo com informação publicada em dezembro de 2021 no site Hiring Drivers Now, plataforma especializada na gestão de profissionais para o transporte nos EUA.

“É preciso se preparar, e buscar a assessoria correta para atuar com essa solicitação, que tem muitos pormenores tanto para o pleiteante ao visto, quanto para o empregador”, explica Liz. O período do processo para obtenção do Green Card leva cerca de 18 meses, e há detalhes fundamentais para que o pedido seja atendido.

Passo a Passo para obter o Green Card por intermédio do visto EB-3

Para solicitar o Green Card dentro dessa categoria é preciso que o trabalhador tenha um empregador nos EUA com uma oferta de emprego e que, antes da entrada do processo imigratório em si, seja realizada uma etapa anterior, chamada de Labor Certification, uma Certificação Trabalhista emitida pelo Departamento do Trabalho – Department of Labor (DOL), que permite que um empregador nos Estados Unidos registre uma petição de imigração baseada em emprego.

O empregador terá que provar ao DOL que não conseguiu encontrar um candidato adequado para o cargo no mercado doméstico, por meio de um processo rigoroso. Se não conseguir preencher a vaga com um trabalhador local, a empresa patrocinar um trabalhador estrangeiro para residência permanente nos EUA, desde que esse profissional tenha as qualificações e conhecimentos necessários. O pagamento de todas as despesas relativas ao processo de labor certification e ao processo imigratório em si também deve ser feito pelo empregador.

Deixe um comentário!