Mercedes-Benz e Volvo suspendem atividades na Rússia por causa do ataque à Ucrânia

A Volvo Trucks e a Mercedes-Benz anunciaram a paralização das operações na produção de caminhões em território russo, sem previsão de retorno. A medida se deve ao ataque das forças militares russas, sob o comando do presidente Vladimir Putin, ao território ucraniano, que começou na última semana.

A Volvo Trucks tem uma fábrica de caminhões em solo russo, próxima à capital, Moscou, e detém cerca de 3% do mercado de caminhões no país. A empresa afirmou que não oferecerá veículos nem peças de reposição no mercado russo, garantindo as sanções impostas ao país.

A Daimler Trucks, por sua vez, não possui uma fábrica própria no país, exportando veículos da Alemanha, mas mantém um joint-venture com a Kamaz, fabricante estatal russa.

A Kamaz oferece uma linha de caminhões desenvolvida com base nos modelos Actros, utilizando grande parte dos componentes dos caminhões Mercedes-Benz. Com a paralisação completa das atividades da Mercedes-Benz no país, a fábrica da Kamaz deve ser duramente impactada.

Além das fabricantes de caminhões, diversas montadoras de automóveis, empresas do setor de petróleo, gás e de transportes marítimos, como a Maersky, anunciaram a paralisação completa da oferta de produtos e serviços no mercado russo, atendendo às sanções impostas por diversos países.

A guerra entre Rússia e Ucrânia já deixou pelo menos 150 civis mortos, com cerca de 400 feridos, além de milhares de soldados dos dois países, mortos ou feridos. Cerca de 680 mil ucranianos já buscam abrigo em países vizinhos, número que pode chegar aos 4 milhões em poucas semanas.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

Rafael Brusque - Blog do Caminhoneiro

Nascido e criado na margem de uma importante rodovia paranaense, apaixonado por caminhões e por tudo movido a diesel.

Deixe um comentário!

Caminhões comemorativos viram febre entre transportadoras Centenas de vagas de emprego para caminhoneiros Conheça o super caminhão futurista da Peterbilt 300 vagas para caminhoneiros brasileiros em Portugal CAMINHONEIRO SEGUE TRABALHANDO AOS 90 ANOS DE IDADE