Empresa brasileira desenvolve tecnologia exclusiva para uso de gás em caminhões

Transportadoras de todo o mundo estão buscando formas de reduzir o consumo de combustível, custos e emissões de poluentes. Essas transportadoras tem buscado empresas que ofereçam tecnologias práticas, de fácil implementação e com custo reduzido, mas que entreguem os resultados esperados.

Pensando nisso, Federico Prestipino, o Fredy, desenvolveu um conceito exclusivo de conversão de caminhões a diesel em modelos híbridos, que podem funcionar com uma mistura de gás e diesel, ou exclusivamente com diesel, em locais que não tenham disponibilidade de gás natural veicular ou biometano.

Dessa tecnologia nasceu a Fegás, empresa catarinense instalada às margens da BR-101, em Palhoça, que realiza a instalação de kits que podem oferecer um ganho de autonomia de até 500 quilômetros, dependendo do tipo da operação do veículo.

Como o gás é injetado em conjunto com o diesel, obtém-se uma redução no consumo de diesel, com consequente redução da emissão de poluentes. Graças aos benefícios e custo reduzido da instalação dos kits nos caminhões, a empresa tem fechado grandes contratos, com empresas de transporte de todo o país, e, em pouco mais de dois anos, já comercializou mais de 250 instalações.

Com a tecnologia exclusiva desenvolvida pela Fegás, o caminhão não sofre modificações em componentes como motor, parte elétrica ou eletrônica. Todo o sistema de injeção de gás é feito pela turbina, o que também facilita e reduz custos das manutenções preventivas e corretivas do sistema.

“Nosso sistema trabalha com uma porcentagem de gás e uma porcentagem de diesel, proporcionando um aumento de autonomia para o diesel de quase 50%. Esse sistema de injeção permite que, quando acabar o GNV, o caminhão possa rodar exclusivamente com diesel”, disse Fredy, em entrevista ao Blog do Caminhoneiro.

Além do ganho de autonomia e no consumo médio de diesel, que também pode gerar uma economia de 50%, o sistema desenvolvido pela Fegás pode proporcionar um aumento de torque para o motor, entre 20% a 25%.

De acordo com a empresa, mais uma vantagem da utilização do sistema é a redução da necessidade de manutenções, como a troca de óleo.

“Também tem o benefício do óleo lubrificante. O óleo tem uma durabilidade maior, já que o motor trabalha mais frio, garantindo uma operação mais tranquila”, destaca Fredy.

A empresa realiza a instalação do sistema em qualquer tipo de caminhão, grandes ou pequenos, também sem exigência de ano de fabricação. O que varia é que, dependendo da idade da frota, o rendimento poderá ser um pouco menor.

Todas as peças e componentes do sistema desenvolvido pela Fegás são certificados pelo Inmetro, o que garante segurança aos transportadores. A instalação do sistema pode ser feita na lateral do chassi, no lugar do segundo tanque de diesel, ou atrás da cabine. Na lateral do chassi, são instalados quatro cilindros, e atrás da cabine podem ser instalados seis cilindros maiores.

“Com quatro cilindros, o gás é consumido em torno de 500 quilômetros. Com seis cilindros, a autonomia do gás é de 700 a 800 quilômetros. Mas isso depende muito do tipo da operação do caminhão”, destacou Fredy.

A empresa também tem uma equipe destacada para realização de atendimento pós-venda em qualquer local do país. Em lugares mais próximos, a equipe se desloca com um veículo próprio, mas, em caso do atendimento ser em outras regiões do país, se necessário, o deslocamento do pessoal e ferramentas é feito de avião.

O preço médio de instalação do sistema é de R$ 32 mil, que varia conforme a quantidade de cilindros e tipo de instalação. O pagamento do investimento se dá em cerca de sete meses, graças a redução de custos do transporte.

Crescimento da demanda

Graças ao excelente desempenho em vendas do sistema, a empresa está investindo em capacitação de pessoal, e, em 60 dias, irá dobrar a capacidade de produção, podendo produzir até 500 kits por ano.

“Estamos capacitando pessoas, correndo atrás de novas tecnologias, e sempre correndo atrás de entregar mais qualidade e segurança para os novos clientes”, destacou o empresário.

Além do investimento na matriz da empresa, em Palhoça-SC, a expectativa é de abertura de uma nova unidade, a primeira filial da Fegás, no estado de São Paulo, como forma de ampliar o atendimento a transportadoras da região Sudeste, e também oferecer um serviço de pós-venda ainda mais ágil.

Serviço

23 comentários

Costa 14/04/2022 - 23:49

Só vendo esses caras falarem em “bomba relogio” “explosão” “despesas de carro com gnv” comentário de quem não entende nada do assunto ou acha que entende, pra começar um cilindro que passa todo ano por requalificação no Inmetro sem apresentar falhas não tem como explodir esse negócio de explodir bomba relógio é mito e falta de conhecimento e a questão de despesas com carro à gnv é coisa de quem tem pena até de trocar um filtro de ar que é o básico, em fim… muita ignorância.

Reply
Carlos Eduardo Silvério 14/04/2022 - 10:31

Ta…Mais kd a segurança para motorista em caso de um acidentes…vendo que atras de vc tem uma bomba que qualquer momento pode explodir….não teria outro local não pra montar o kit????….aguardo uma atenção!!!

Reply
Lucas 13/04/2022 - 18:28

GNV é tão ruim,mais tão ruim, q cerca de 80% da frota do RJ é a gás, e desgaste com motor, peças, sinceramente, só crítica quem nunk tv carro a gás ou gosta de pagar oito pau na gasolina.

Reply
Geraldo 13/04/2022 - 07:02

Gnv é ilusão, economiza dinheiro com combustível mas, gasta-se com manutenção, revisão e reteste, em carros ocupa espaço, rolamento gasta mais, amortecedor, troca mola todo ano ou mais depende do uso. Já tive em dois carros meus e agora tem 6 meses q vendi e comprei outro flex, nunca teve gás, e so rodo na gasolina. Felicidade só….meus gastos com manutenção foram no chão. Imagino isto em um caminhão….sem contar q estes caminhões modernos são caixões ambulantes…..boa sorte!

Reply
Tubarão 12/04/2022 - 05:28

É um bomba relógio só esperando para ser tenonada

Reply
Tubarão 12/04/2022 - 05:24

Então bate seu táxi p vc ver

Reply
Marcelo Sousa damasceno 11/04/2022 - 20:00

Mas as empresas não estão preocupados com o motorista e arredores, não precisa nem de um acidente grave para afetar os cilindros e explodir, basta fechar um L, o seguro paga outro caminhão a empresa coloca outro chofer e segue seus trabalhos normalmente

Reply
Marcelo Sousa damasceno 11/04/2022 - 19:55

O gás GNV mal atende veículos de passeios por ter poucos postos de abastecimento, e logo o preço do gás irá aumentar mais também e com a manutenção que se tem que fazer e os custos na hora de renovar o sistema pode se tornar inviável futuramente,mas o que mais preocupa é a quantidade de cilindro que está aí numa foto acima uma verdadeira bomba de o caminhão fechar um L é claro ninguém imagina que possa acontecer mas o risco está bem aparente

Reply
Nc 11/04/2022 - 15:37

A ideia é genial !! Mais….. Estamos no Brasil pessoal não se esqueçam onde os políticos fazem de tudo pra tira dinheiro do povo … O gás era um valor muito a baixo aí veio a ganância e tem lugar que tá quase 5 reais aí com essa estória de por gás no caminhão aí é de lascar …eles vão esperar quase todo mundo por o gás aí depois o aumento lá nas nuvens !! Eles são bandidos pô ! Que ver espera só pra ver !!

Reply
Rafael Freitas 11/04/2022 - 14:59

Pelos comentários percebe-se que o grande mito do GNV nos caminhões é a segurança do motorista.
Ponto extremamente importante, mas vale destacar que o GNV instalado por empresas sérias, o Kit se torna muito seguro. É só pegarmos o estado do Rio de Janeiro que tem 33% da frota de carros leves/passeio (1.6 milhão de carros) convertidos a gás, onde infelizmente diversos acidentes acontece diariamente no estado, e não se vê a questão de explosão de kit de GNV.

Essa é uma tendência cada vez mais forte, que vai aumentar as conversões.
Sugestão, procurem empresas sérias, e informações embasadas para tomar a decisão de vocês.

Qualquer duvidas, é so manda msg para meu email (rcx@hotmail.com.br).

Reply
Aline Teixeira idalencio duarte 11/04/2022 - 14:24

E um absurdo,e o peso dos cilindros.gnv caríssimo, mais inspeção do Inmetro todo ano.e requalificação dos cilindros.pouca vantagens e mais despesas.minha visão.

Reply
Luiz antonio Nogueira 11/04/2022 - 14:24

Se for utilizado um equipe tô com garantia de certificação e dizer. A manutenção correta não tem perigo , não vai querer economizar comprando cilindros baratos de mais se não pode se ruim.

Reply
Renato 11/04/2022 - 12:54

Olha a motorista de caminhao rodoviário, e jamais me sujeitaria viajar em uma bomba relógio… Com salário e benéficos ke temos hoje para categoria … Os riscos já são grandes em um caminhão convencional, agora vem um espetinho, querendo faturar e inventa um jeito de por uma bomba nas costas do motorista …

Reply
Leonardo 11/04/2022 - 11:38

Blza, aí vai e aumenta o GÁS como tem aumentado, absurdo, tudo que for favorecer consumidor eles vão e taxa. Complicado viver no Brasil, mais um mecanismo para empresa lucrar, pq no final quem paga toda a conta somos nós consumidores!

Reply
Rodrigo 11/04/2022 - 09:38

*Fazer reteste

Reply
Rodrigo 11/04/2022 - 09:34

Imagino na hora de fazer de teste desse monte de botija!

Reply
Sergio Ricardo Saldanha Cardoso 11/04/2022 - 08:21

O Mercado Livre já tem vários cavalos com GNV

Reply
Eduardo 11/04/2022 - 07:55

E o motorista carregando uma bomba

Reply
Ediones de Souza Gonçalves 11/04/2022 - 06:26

Isntalacao feita em lugar correto e sério não dá nenhum probleminha, tenho gás GNV.no meu táxi a pelo menos 30 anos.

Reply
Nicolau 11/04/2022 - 05:21

Sistema de gnv é bem mais seguro do que vcs imagina , se vcs pesquisarem todos acidentes que aconteceram com gnv foram com motoristas que fizeram gambiarra,(inclusive colocando botijao de gás de casa ni carro ) , os combustíveis fósseis são bem mais perigoso matam bem mais em caso de acidente , tenho um f250 com gnv a 18 anos todo ano faço a inspeção do gnv já rodei 620 mil km e fla tá aqui intacta inclusive motor original dela ! Estes cilindros sao super seguro eles são feito se não me engano pra aguentar ➕️ de 3 vezes a pressão que coloca nele e ainda tem uma valvula que romper se acontece de colocar muita pressão

Reply
Rodrigo 10/04/2022 - 20:27

Adorei seu comentário Anderson, as Cabines do caminhões modernos são verdadeiras latas frágeis e não oferecem nenhum tipo de proteção aos motoristas em acidente, como você disse se um cilindro explodir o motorista morre na hora, em caso de acidente tombamento ou batidas os danos seram muito piores, porque hoje estes caminhões modernos cheio de tecnologia quando bate o motorista sai muitilado ou dentro de um saco de lixo.
Tanta tecnologia para nada de segurança as empresas só pensam em ter lucros, agora colocam uma bomba nas costas do motorista.
Caminhão tem que ser bicudo. Mais segurança.

Reply
Jonatas 10/04/2022 - 17:03

Resumindo uma bomba relógio é só esperar o dia da explosão se tiver um acidente

Reply
ANDERSON JULIAN DE SOUZA 09/04/2022 - 14:37

O maior e mais preocupante destes sistemas é a segurança, o motorista fica a frente de uma bomba poderosa que nem precisa pegar fogo, somente com impacto de um único cilindro despedaçaria a cabine toda e quem estivesse nela, em casso de explosão em cadeia ou com fogo ai sim seria bem pior. Sistemas devem pensar em colocar mais longe possível do motorista e também modificar a segurança das cabines que já são frágeis e sem proteção adequada.

Reply

Deixe um comentário!

Ford AA Konings Siam – O curioso caminhão duplo da década de 1930 Conheça a rodovia mais longa do Brasil Velho caminhão americano é transformado em carro de passeio muito estiloso Você sabia que o 1° FNM produzido no Brasil era bicudo Conheça os coloridos caminhões do Paquistão