Excesso de telas complica a vida dos motoristas

Os veículos mais recentes apresentados por praticamente todas as montadoras estão perdendo os controles tradicionais, por botões e comandos manuais e recebendo telas sensíveis ao toque, onde tudo que envolve a configuração do veículo está.

Essas telas estão em automóveis, dos mais simples aos sofisticados, e também começam a se tornar muito populares em caminhões. Uma revista da Suécia, a Vi Bilägare, comparou o uso das atuais tecnologias com um veículo mais antigo, onde tudo era por comando manuais.

O carro mais antigo era um Volvo V70, fabricado em 2005, e o comparativo foi feito com modelos como o BMW iX, Seat Leon, Subaru Outback, Volvo C40 e Dacia Sandero. alguns modelos avaliados, como o chinês MG Marvel R, tem uma tela gigante no lugar do painel tradicional.

O piloto que realizou o teste com os veículos precisou realizar ajustes simples, padronizados para todos os veículos. Entre eles, ligar o aquecimento dos bancos e alterar a temperatura do ar-condicionado, usar o rádio e regular a intensidade da iluminação do painel.

Inicialmente, o teste foi feito com o automóvel mais antigo, e depois com todos os outros veículos.

No Volvo V70, tudo foi feito em apenas 10 segundos. Rodando em velocidade de 110 km/h, o carro rodaria por 300 metros com o motorista dando menor atenção à estrada.

Porém, nos modelos mais modernos, os mesmos comandos foram realizados em tempos de até 30 segundos, com temo médio de 24,7 segundos. Nesse tempo, na mesma velocidade, o veículo roda entre 600 e 900 metros.

Carros mais baratos, que tem telas menores e ainda mantém comandos manuais para muitas funções tiveram tempos bem menores. É o caso do Dacia Sandero, 13,5 segundos, e o Volvo C40, com 13,7 segundos.

O carro mais tecnológico testado, o MG Marvel R, que não tem botões físicos, precisou de 44,9 segundos para os ajustes. Nesse tempo, o carro viaja por 1,3 km em velocidade de 110 km/h.

Além disso, por não estarem em posições fixadas, o motorista precisa abrir e fechar abas dos sistemas, demorando mais tempo e prendendo mais a atenção do motorista às telas. Com informações de 40Ton.

Rafael Brusque - Blog do Caminhoneiro

Nascido e criado na margem de uma importante rodovia paranaense, apaixonado por caminhões e por tudo movido a diesel.

Deixe um comentário!

Caminhões comemorativos viram febre entre transportadoras Centenas de vagas de emprego para caminhoneiros Conheça o super caminhão futurista da Peterbilt 300 vagas para caminhoneiros brasileiros em Portugal CAMINHONEIRO SEGUE TRABALHANDO AOS 90 ANOS DE IDADE