Por que alguns FNM são chamados de Barriga D’Água?

A história da Fábrica Nacional de Motores é uma das mais ricas e diversificadas da indústria automotiva nacional, tendo diversas fases ao longo dos anos em que seus modelos estiveram em produção.

Boa parte dos caminhões produzidos pela empresa entre 1949 e 1975 tiveram algum apelido, como “João Bobo”, “Boca-de-Bagre” ou “Sapão”. casa um com a sua peculiaridade. Outros dos apelidos que chamam a atenção é o famoso Barriga D’Água. Mas o que isso tinha a ver com o caminhão?

No ano de 1958, a produção dos caminhões FNM ia muito bem, com milhares de novos caminhões saindo das linhas de montagem naquele ano. Mas havia um problema técnico com os novos blocos de motor, apresentado cerca de um ano antes.

Os novos blocos eram feitos com um novo tipo de liga de alumínio, que apresentava porosidade excessiva em algumas unidades, permitindo que a água invadisse esses espaços e escapasse do sistema de arrefecimento do motor.

Como a água podia ir para qualquer ponto do motor, por causa da fundição do alumínio, algumas vezes escapava para fora do bloco ou mesmo para dentro do óleo de lubrificação, o que poderia fazer o motor fundir.

Devido ao problema do motor ficar cheio de água no lugar errado, logo nasceu o apelido, que pegou rapidamente. Os FNM Barriga D’Água são sempre modelos fabricados em 1958. Desse ano, cerca de 30% dos motores apresentaram o problema.

A FNM realizou trocas de motores na garantia, evitando que os transportadores tivessem prejuízo.

Porém, os motores que não apresentavam o problema de porosidade continuavam tendo a quase infinita durabilidade conhecida da marca, e até hoje, muitos modelos equipados com esses motores continuam rodando.

Deixe um comentário!

Caterpillar apresenta caminhão gigante totalmente elétrico Caminhoneiros estão cada vez mais procurados pelas transportadoras Caminhoneiro recém contratado depena caminhão nos EUA Eficiência dos motores diesel chega a um novo patamar Projeto quer acabar com valores de fretes muito baixos