ARTIGO: Por que acidentes com CVCs são frequentes nos cruzamentos das rodovias?

Tem sido observado um tipo peculiar de acidente provocado por Combinações de Veículo de Cargas (CVCs) nas interseções: entradas ou cruzamentos de rodovias.

Pelo fato de o conjunto ser muito longo, via de regra o caminhão-trator já se encontra alinhado na sua faixa, mas a última unidade ainda está parcialmente na pista contrária, o que gera graves acidentes com os veículos que vêm na direção contrária.

Pelo fato de a CVC ser muito longa, muitas vezes o caminhão-trator já está alinhado na faixa, mas a última unidade ainda está na pista contrária, causando o acidente.

Isso ocorre pelo fato de as CVCs serem maiores e mais pesadas, fazendo com que demorem mais para conseguir entrar ou cruzar que conjuntos convencionais . O fator é agravado quando a via secundária lateral é mais baixa que a via principal, já que isso impacta na taxa de aceleração da CVC e o tempo necessário para alinhamento do conjunto na faixa passa a ser ainda maior.

Quando a via a ser acessada é mais alta que a original, o tempo necessário para o alinhamento é ainda maior, pois o desnível impacta na taxa de aceleração do conjunto.

Estes fatores exigem um intervalo de tempo, chamado de gap crítico, e uma distância de visibilidade maiores por parte do motorista antes que ele decida entrar ou cruzar a via. Vale ressaltar que à noite o risco é ainda mais acentuado, porque o farol do caminhão-trator ofusca a visão do condutor do veículo que vem em sentido contrário, impedindo-o de visualizar que a unidade traseira ainda obstrui a via.

De noite o risco é ainda maior, pois o farol ofusca a visão de quem vem na faixa contrária.

Como evitar

Assim como a maior parte dos incidentes rodoviários, esse tipo de acidente também pode ser evitado por meio do conhecimento e da ciência. Neste sentido, o uso do dispositivo ANJO S-TRACK é um grande aliado.

Isso porque uma das funcionalidades do ANJO S-TRACK é indicar pontos críticos das rodovias aos motoristas, sejam curvas ou alças de acesso. Atuando como um rotograma inteligente, o ANJO S-TRACK informa ao motorista da via principal a proximidade de uma entrada crítica, alertando para a velocidade indicada em função do risco que a entrada de outros veículos possam causar. E, nos casos em que o motorista estiver na via secundária, o dispositivo também alerta para os riscos desta entrada na via principal.

Esta funcionalidade é mais uma das atualizações recentemente implantadas no dispositivo, cuja função principal é evitar tombamentos por meio da indicação da velocidade máxima de segurança para cada uma das curvas, de acordo com as características do conjunto em que está instalado e a carga que ele transporta.

Atuando como um rotograma inteligente, o ANJO S-TRACK diferencia-se dos rotogramas falados justamente ao considerar não apenas as condições da via, mas também dos sistemas em que está instalado, dando informações em tempo real aos motoristas.

Acesse agora https://anjo.mobi/.

1 comentário

Rai 12/10/2022 - 14:59

O maior motivo é não reduzir a velocidade em áreas onde há cruzamento ou entrada/saída de veículos.
Canso de ver isso nesses locais aí topa com um veículo q exige mais tempo pra concluir a manobra e por não ter reduzido a velocidade ao precisar bater é quase inevitável.
O mesmo em trechos de via simples com a composição lenta a frente. A falta de educação e prevenção de segurança faz ultrapassar em local proibido, não manter distância mínima do veículo, etc.

Reply

Deixe um comentário!

Caterpillar apresenta caminhão gigante totalmente elétrico Caminhoneiros estão cada vez mais procurados pelas transportadoras Caminhoneiro recém contratado depena caminhão nos EUA Eficiência dos motores diesel chega a um novo patamar Projeto quer acabar com valores de fretes muito baixos