Venda de caminhões novos fecha 2022 com 124,5 mil unidades vendidas

A Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores divulgou na manhã de ontem os números finais em relação à venda de veículos no Brasil, durante o ano de 2022. Considerando todos os segmentos, os emplacamentos tiveram alta de 4,9% sobre 2021 e se aproximaram das projeções da entidade, divulgadas em julho, quando era prevista uma evolução de 5,5% do mercado. Apenas no mês de dezembro, a alta foi de 7%.

“O resultado foi ótimo, consideradas as dificuldades enfrentadas pelo setor ao longo de 2022, lembrando que, no início do ano passado, a crise de abastecimento ainda afetava muito a disponibilidade de veículos novos, houve severos impactos da guerra na Europa, com o aumento dos preços dos combustíveis, crise logística, entre outras consequências, causando muitas incertezas nos compradores. No decorrer de 2022, porém, o mercado se ajustou e o setor reverteu a queda inicial. O resultado só não foi melhor porque tivemos períodos que impactaram no movimento de público nas Concessionárias, como foi o caso da Copa do Mundo”, analisa Andreta Jr., Presidente da Fenabrave.

Mesmo com a Copa do Mundo limitando a passagem de loja, a Fenabrave apurou que o volume do segundo semestre de 2022 representou 55% dos emplacamentos de 2022. Em 2021, a segunda metade do ano teve participação de 51,3%.

“O primeiro trimestre do ano passado, em especial, apresentou uma série de desafios simultâneos e foi preciso que o setor e o mercado mostrassem grande poder de recuperação para fechar com resultados positivos em 2022”, avaliou Andreta Jr.

Vendas totais

A produção e entregas de caminhões novos ainda sente os impactos da falta de componentes, e isso teve impacto no número final de emplacamentos registrados em 2022. Mesmo com uma queda na comparação com 2021, os números ficam bastante próximos.

“Apesar da queda, o resultado se manteve próximo às projeções da Fenabrave, que havia previsto estabilidade para o segmento no ano”, disse Andreta Jr.

Entre janeiro e dezembro de 2022 foram emplacados 124.584 caminhões novos, 2,12% menos do que as 127.281 unidades registradas no ano de 2021.

Em dezembro foram emplacados 12.064 caminhões, 21,42% a mais do que em novembro, quando foram emplacados 9.936 veículos nesse segmento. Na comparação com dezembro de 2021 também houve elevação nas vendas, de 0,75%. No último mês de 2021 haviam sido emplacados 11.974 veículos de carga.

Montadoras

Duas montadoras dominam 55,19% do mercado nacional, oferendo linhas completas em todos os segmentos analisados pela Fenabrave. A Volkswagen vendeu 34.508 caminhões em 2022, com participação de mercado de 27,7%, e a Mercedes-Benz emplacou 34.242 unidades, com 27,49% de participação.

A terceira posição é da Volvo, que emplacou 24.090 caminhões novos, e registra 19,34% de vendas no total.

Caminhões

Entre os caminhões, o modelo mais vendido de 2022 é o Volvo FH 540. O caminhão mais potente produzido pela Volvo no Brasil é muito usado para operações do agronegócio, como o transporte de grãos e insumos para lavouras de todo o país. Esse modelo teve 8.317 emplacamentos registrados em 2022, sendo 818 em dezembro.

O número registrado pelo Volvo é duas mil unidades superior ao segundo colocado, o DAF XF, que registrou 6.301 vendas durante o ano. Em terceiro se destaca o Volkswagen Delivery 11.180, com 5.595 emplacamentos.

Rafael Brusque - Blog do Caminhoneiro

Nascido e criado na margem de uma importante rodovia paranaense, apaixonado por caminhões e por tudo movido a diesel.

Deixe um comentário!

Conheça o NIKOLA TRE movido a hidrogênio Caminhões comemorativos viram febre entre transportadoras Centenas de vagas de emprego para caminhoneiros Conheça o super caminhão futurista da Peterbilt 300 vagas para caminhoneiros brasileiros em Portugal