JAC poderá instalar fábrica de caminhões em Santa Catarina

por Blog do Caminhoneiro

jac-heavy-dutyO secretário de Estado da Secretaria de Desenvolvimento Sustentável (SDS), Carlos Chiodini, que também é deputado estadual pelo segundo mandato consecutivo, postou no seu perfil no Facebook no dia 25 de janeiro, notícia interessante numa época de crise econômica, contenção de investimentos e pouca ou nenhuma geração de empregos. Na postagem consta que a fabricante chinesa JAC Motors planeja instalar uma fábrica de caminhões em Santa Catarina e que as negociações envolvendo secretarias do governo e dirigentes da empresa chinesa estão em fase avançada, lastreados pela política fiscal, a estabilidade econômica, a logística do Estado quanto a rodovias, portos e aeroportos, além da mão de obra qualificada.

Mas quem é na ordem do dia a JAC Motors? A JAC ou Jianghuai Automobile Co. Ltd. (em chinês, 安徽 江淮 汽车 股份有限公司), foi fundada em 1964 e é uma fabricante de automóveis, chassis de ônibus e caminhões. Em 2014 produziu 485.000 unidades. A JAC possui seus caminhões, automóveis e ônibus rodando em mais de 100 países, além de ser a montadora que mais exporta na China. Devido ao processo de internacionalização de seus produtos e a ênfase dada as exportações, a empresa mantém um centro nacional de pesquisa e desenvolvimento em Hefei e, em 2005, inaugurou seu primeiro centro internacional em Turim, na Itália. Posteriormente em 2006, foi inaugurado seu segundo centro internacional de pesquisa em Xangai.

O lançamento de veículos é uma constante na JAC. Em 2009 lançou os automóveis J3, J3 Turim, o J5 e o J6. O sucesso veio já no primeiro trimestre daquele ano e as vendas chegaram a 180 mil unidades, dos autos lançados, somados as vendas dos demais produtos constantes no portfólio da empresa. Apenas para comparação, no ano anterior, o total de vendas da marca foi de 220 mil unidades, com receita de US$ 1,3 bilhão. Tecnologia, “know-how” de ponta e capacidade de produção tem tido evolução constante na montadora, cuja capilaridade se estende a automóveis, caminhões, veículos leves de carga, chassis de ônibus e por ter sido a primeira no mundo a obter a tecnologia VVT (Comando Variável de Válvulas) em motores, tecnologia que até a Toyota passou a empregar nos consagrados motores que equipam os Toyota Corolla.

A primeira unidade exportada pela JAC Motors foi para a Bolívia, em 1990. De lá para cá sua expansão foi avassaladora. Suas exportações alcançaram mais de 100 países na África, América do Sul, América Central, Europa, Ásia e Oceania. O crescimento das vendas, em alguns anos, chegou a estrondosos 80% ao ano. Na China ocupa a liderança na fabricação de chassis de ônibus, caminhões e de veículos comerciais leves. É a líder absoluta também em exportações. Para tanto, decisiva tem sido a colaboração dos Centros de Tecnologia JAC Italy Design Center (em Turim, na Itália) e o JAC Japan Design Center (em Tóquio, no Japão).

Estes centros de desenvolvimento de projetos automotivos e de design têm dado sua cota de contribuição para a marca fidelizar cada vez mais clientes mundo afora e na China. No entanto, fica aqui uma crítica, é necessário que a JAC evolua e produza veículos automotores que, além da boa relação custo/benefício, da longa vida útil e de uma política que resulte na manutenção de bons preços de revenda, com baixa desvalorização, que a mesma, no segmento de caminhões Médios, desenvolva caminhões com DNA próprio, design diferenciado, e não uma cópia barata da frente dos caminhões Scania, pois isto denigre a imagem da empresa. Pra quem conhece de caminhões, fica nítida a cópia, pois os brutos Médios da JAC Motors possuem a parte frontal idêntica aos Scania da Série 4 das cabines P, G e R. Assim como o Lifan 320 é uma cópia do Mini Cooper.

A JAC está no Brasil desde 2010, quando o Grupo SHC firmou uma parceria com a montadora chinesa, sendo, desde então, responsável pelo marketing, comercialização, assistência técnica, pós-venda e distribuição de peças originais da marca. Este grupo foi também quem trouxe a marca Citroen para o solo brasileiro. Hoje, são 70 concessionárias da JAC, espalhadas por 18 Estados e mais de 40 cidades, garantindo assistência técnica as mais de 50.000 unidades de autos da marca vendidos no Brasil. Em 28 de novembro de 2012 começou a ser construída a fábrica da JAC em Camaçari, na Bahia. O Grupo SHC participa com 66% do capital, enquanto a estatal chinesa entrou com os 34% restantes de quase R$ 1 bilhão investidos na fábrica.

Agora, outra divisão da JAC, a de caminhões, também pretende instalar uma fábrica no Brasil. E, possivelmente, em Santa Catarina. Se o montante de recursos para o investimento será feito em parceria com o Grupo SHC ou se proveniente no todo da JAC da China, não sabemos. O certo é que a fábrica em solo catarinense, assim como a da Sinotruk (em Lages) e da BMW (em Araquari) agregam pontos na estratégia catarinense de crescimento sustentável de sua economia para os próximos anos e geram empregos diretos e indiretos. Os efeitos positivos começam antes mesmo do primeiro veículo sair da linha de produção.

Ocorre que a geração de novos postos de trabalho começa com a contratação de mão de obra para construir a nova fábrica. Passa depois pela formação da rede de fornecedores de autopeças para a linha de montagem, fator que gera mais empregos em empresas já existentes. Depois de concluída e em fase de produção, através da geração de impostos e tributos, uma fábrica deste porte dá sua significativa cota de contribuição para a elevação da arrecadação do município onde está localizada e do Estado. Santa Catarina, através do “CompeteSC”, programa que confere benefícios a empresas que pretendam se instalar no Estado, com a vinda da JAC Motors, colabora decisivamente para a recolocação de pessoas no mercado de trabalho em um momento de baixa na geração de empregos.

Diferentemente da gestão anterior, do ex-secretário Paulo Bornhausen, cujo foco foi a atuação forte na busca da vinda de novas empresas para Santa Catarina, entre as quais o Estado conseguiu a instalação da fabricante de caminhões Sinotruk, com fábrica em Lages e da BMW, instalada em Joinville, a prioridade inicial do secretário Chiodini foi interna, o “norte” era a celeridade no aumento da eficiência, na diminuição da burocracia e em respostas mais rápidas aos anseios da sociedade. Os reflexos positivos da nova metodologia já são percebidos e passaram a interessar aos empreendedores, que não foram poucos, sobre o comando do atual secretário. Entre os quais, talvez o mais significativo, se concretizado, pra fechar com chave de ouro sua passagem pelo governo, seja a vinda da JAC Motors para Santa Catarina.

Texto de Carlos Alberto Ribeiro

COMENTAR

QUER ENTRAR EM CONTATO COM O BLOG DO CAMINHONEIRO? ENVIE UMA MENSAGEM CLICANDO NO NÚMERO ABAIXO

042-3532-4235

Artigos relacionados

Escreva um comentário