Iveco Tector Auto-Shift é a evolução do câmbio automatizado

por Blog do Caminhoneiro

O modelo Tector da Iveco foi apresentado no Brasil no ano de 2008. Em 2012 recebeu uma grande atualização para a linha Euro 5, e se tornou um dos caminhões semipesados mais competitivos do mercado nacional. Agora a Iveco apresenta mais três versões do modelo, 170E30 4X2, 240E30 6X2 e 310E30 8X2, com motores FPT N67, de 300 cavalos e 1.050 Nm de torque, com câmbio automatizado Auto-Shift.

O câmbio automatizado usado no modelo é o consagrado Eaton Ultrashift Plus, com 10 marchas à frente e uma à ré. Em parceria com a engenharia da Eaton e da FPT, a Iveco pode extrair o máximo do câmbio, garantindo um conjunto de trem-de-força extremamente otimizado, com 12 funções que garantem o maior conforto e segurança para o caminhão.

“A utilização da transmissão automatizada é uma tendência que começou no segmento de pesados e ganha força, cada vez mais, nos semipesados. O lançamento do veículo propicia que a Iveco amplie a participação de mercado com a já consagrada competitividade da linha Tector”, afirma Marco Borba, vice-presidente da Iveco para a América Latina.

“Os novos modelos Auto-Shift, com câmbio automatizado e motor N67, dão conta de entregas comerciais menores até operações fora de estrada, e atendem os clientes que costumam passar muito tempo dentro do caminhão, uma vez que um motorista chega a fazer de 400 a 800 trocas de marchas por dia, dependendo da aplicação.” diz Ricardo Barion, diretor de Marketing da Iveco para a América Latina.

O modelo passou por rigorosos testes e simulações de operações, rodando mais de 350 mil quilômetros de forma experimental, para avaliar todas as funções do novo câmbio, que garantiu a melhor durabilidade e harmonia de funcionamento.

Entre as funções do câmbio, destacam-se o Down Hill, que otimiza as marchas para descidas suaves, engrenando a 10ª marcha, mesmo que o pedal do acelerador não seja pressionado, reduzindo o consumo de combustível, e o Power Auto, que permite uma aceleração mais potente para o caminhão, chegando a até 2.500 rpm, para que uma entrada na pista, como em saídas de viadutos e de postos de combustíveis seja feita de maneira mais eficiente e rápida possível, garantindo mais segurança ao motorista.

Também se destacam as funções Kick Down, que ao pisar fundo no acelerador, a transmissão reduz uma marcha aumentando o giro do motor, Skip Gear, em que dependendo da carga, velocidade e inclinação da pista o veiculo faz trocas fora da sequencia convencional, Hill Holder, um assistente de partida em rampa que mantém o veículo parado por 3s, facilitando o engate da primeira marcha – transição de tirar o pé do freio para o acelerador, o ASR, onde em condições de baixa aderência o sistema controla as rodas evitando que elas girem em falso e Modo Manobra, onde basta que o motorista pressione um pouco o acelerador para o veículo começar a se movimentar com velocidade baixa e constante, sem trancos – útil em diversas aplicações, como doca e posto de combustível.

Outras duas novidades é o novo acelerador progressivo, que permite mais precisão para as acelerações e que seja mais fácil de encontrar o ponto de torque ideal para o motor, e também o Auto Coast. Com essa função, em condições de descida leve ou em trecho plano, quando o veículo estiver diminuindo sua velocidade e reduzindo as marchas, ao chegar na 5ª marcha a transmissão aciona automaticamente a embreagem deixando o veículo desenvolver de forma segura e confortável para transpor um obstáculo como um quebra-molas, por exemplo. Logo após passar por ele, ao retomar a velocidade do veículo, a marcha correta será acionada sem prejuízos para a performance.

Ao volante

O Blog do Caminhoneiro esteve em Minas Gerais, e pode testar o novo modelo na pista de testes da Iveco em Sete Lagoas. Estavam disponíveis quatro caminhões, todos carregados com carga de lastro, e pode comprovar que o modelo realmente está muito bem acertado com o novo câmbio.

Os modelos disponibilizados era um Tector 310E30 8X2, com carroceria aberta e 29 toneladas de PBT, e três 240E30 6X2, sendo um carroceria aberta e dois baús, com 23 toneladas de PBT. Também havia um 170E30 4X2, sem implemento, para teste do câmbio em rampa.

No teste de direção, o caminhão mostra todo o vigor do potente motor de 300 cavalos. Mesmo com a arrancada normal, e a carga completa, o modelo tem facilidade de ganhar velocidade, chegando rapidamente ao 80 km/h. No teste de aceleração com o modo Power Auto ativado, há ainda mais aceleração, pois o motor chega até os 2.500 rpm, e as trocas de marchas são feitas de forma suave, porém rápida, não tendo solavancos de aceleração.

As retomadas de aceleração, para o caso de ultrapassagens, são feitas com facilidade. Pisando no acelerador até o final, o câmbio decide a melhor marcha para ganhar velocidade e o caminhão acelera rapidamente.

O modelo 4×2 testado foi utilizado para partida em rampa, com uma inclinação de 20%. Ao parar no meio da rampa, o modelo entra no modo Hill Holder, que segura o caminhão freado por 3 segundos, facilitando o arranque. A função é ativada mesmo em marcha à ré.

Também pudemos testar a função low do câmbio, que segura o caminhão em descidas com o freio motor. O câmbio se ajusta à velocidade e à rotação do motor, e escolhe a melhor relação para segurar o caminhão em descidas de serra.

Com todos esses atributos, o Iveco Tector Auto-Shift chega para se firmar como um dos semipesados mais equipados e bem acertados do mercado brasileiro, proporcionando conforto e economia para as mais diversas operações.

COMENTAR

QUER ENTRAR EM CONTATO COM O BLOG DO CAMINHONEIRO? ENVIE UMA MENSAGEM CLICANDO NO NÚMERO ABAIXO

042-98800-6519

Artigos relacionados

Escreva um comentário