INMETRO suspende registro do arla Solunox 32 da JF Matão

O INMETRO (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia) suspendeu o registro que autoriza a produção do agente redutor líquido automotivo, ARLA 32, pela empresa JF Matão Produtos Químicos. Com essa decisão, a empresa não poderá comercializar o produto até ter sua situação regularizada.

Em junho desse ano, a JF Matão foi alvo de uma operação de fiscalização, realizada pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) e Ministério Público. Na ocasião, a empresa foi lacrada e recebeu uma multa de R$ 100 mil.

A AFEEVAS (Associação dos Fabricantes de Equipamentos para Controle de Emissores Veiculares da América do Sul) tem acompanhado e incentivado as ações promovidas pelos órgãos certificadores e reguladores do setor na fiscalização de empresas fabricantes de ARLA 32 para identificar as que não seguem as normas corretas para produção.

“É preciso que ocorram mais ações para resolver a situação. Nós temos um compromisso ético e legal com os consumidores que compram ARLA 32 e as empresas que o fabricam. Além disso, nossa recomendação é que os clientes sempre verifiquem a procedência do produto adquirido e escolham apenas marcas que reconhecidas no mercado por sua qualidade. Infelizmente, mesmo marcas com certificação INMETRO podem não atender às especificações legais e não devem ser utilizadas nessas condições, uma vez que podem causar grandes prejuízos aos veículos, motoristas e empresas”, explica Elcio Farah, diretor adjunto da AFEEVAS.

Siga o Blog do Caminhoneiro nas redes sociais

Deixe um comentário!

Salários de R$ 450 mil ao ano não atraem motoristas para o transporte de grãos nos EUA Johnny Cash comprou e nunca usou um Peterbilt 359 Conheça o caminhão que foi o primeiro bitruck do Brasil Auxílio de R$ 1.000 para caminhoneiros é aprovado Conheça os detalhes do projeto Roda Bem Caminhoneiro