Médico troca consultório pelo campo




A paixão pela agricultura fez o médico Celso Macedo Kossatz, 62 anos, trocar as clínicas pelos campos. Após 16 anos atuando como ginecologista, ele largou a medicina e começou a trabalhar com agricultura. Há mais de duas décadas no novo ramo, Kossatz se orgulha da escolha profissional e, usando máquinas de grande porte da Case IH, transformou-se em um empresário rural de sucesso à frente do Grupo K2 Agro, vendendo seus produtos para uma das maiores cooperativas agroindustrial do país.

“Isso nunca tinha passado pela minha cabeça. Eu era médico por formação e agricultor por opção. Me apaixonei pelo negócio. Foi um espanto para todos. No início, foi muito difícil, pois sempre trabalhei como médico e gostei muito da profissão. Surgiu, então, uma outra opção também muito interessante. Eu estava realizado nas duas, mas acabei seguindo o caminho da agricultura e não me arrependo”, relembra Kossatz.

A boa performance dos negócios do Grupo K2 Agro também está ligada à atuação do filho de Kossatz, que se interessou pelo trabalho do pai e foi estudar engenharia agronômica. Cássio de Oliveira Kossatz, 31 anos, fez estágio em Dakota do Norte, nos Estados Unidos, onde trabalhou com agricultura de precisão e, por isso, foi um dos percursores do segmento na região.

O conhecimento da área tecnológica foi levado às fazendas da família, em Ponta Grossa, Ipiranga e Tibagi – todas no interior do Paraná. Com essas ferramentas, a produção de soja, milho, trigo e cevada aumentou significativamente. E uma das máquinas que contribuiu para esse processo foi o trator Steiger, adquirido por eles no ano passado.

O modelo, de 420 cv, foi comprado para puxar equipamentos grandes, como uma plantadeira de 27 linhas, utilizada na fazenda. Antes, a máquina era levada por um trator de menor potência, que, embora executasse a função, consumia muito combustível.

“O Steiger foi comprado, principalmente, para reduzir o consumo de combustível. Ele trouxe grande ganho operacional. Tem mais potência, força e consegue executar a tarefa independentemente do terreno, resultando em uma economia expressiva de combustível”, analisa o engenheiro da família Kossatz. “Reduzimos o consumo de combustível de 20 a 30% em relação ao antigo trator, porque paramos de forçá-lo”, complementa.

E Cássio tem razão em suas observações. Fabricado há mais de 50 anos no mundo, a linha de tratores Steiger é uma das mais fortes do mercado mundial, oferecendo potência máxima em qualquer atividade, de forma suave e eficiente. O Steiger foi feito para atender a todas as demandas do campo, destacando-se por sua força, conforto e economia. Com tratores de 370 a 620 cavalos, a linha Steiger foi projetada para proporcionar potência máxima em qualquer tipo de atividade ou campo, além das demandas de potência hidráulica de implementos modernos.




Deixe sua opinião sobre o assunto!