Greve de caminhoneiros no Brasil impactou montadoras na Argentina




Supridas por peças fabricadas no Brasil e transportadas por caminhões, diversas montadoras argentinas ficaram sem estoques de componentes para montagem de veículos e pararam as atividades durante a greve de caminhoneiros que ocorreu no Brasil entre os dias 21 e 31 de maio.

Renault, Toyota, Ford, Citroën e Peugeot informaram por meio de notas que pararam as linhas de montagem por falta de componentes. Não houve demissões nem afastamento de pessoal, e os dias parados serão reprogramados durante o restante do ano.

As outras montadoras instaladas no país, como Mercedes-Benz e Volkswagen pararam as linhas de montagem, mas não houve folga para os colaboradores. As empresas usaram os dias parados para manutenções e treinamento.

LEIA MAIS  Caminhoneiro do Maranhão vence a Gincana do Caminhoneiro e leva um Tector para casa

No Brasil, a greve causou a paralisação de todas as linhas de montagem no dia 24 de maio, quarto dia de paralisações.




Deixe sua opinião sobre o assunto!