Empresários e trabalhadores do transporte voltam a cobrar do governo ações efetivas contra roubo de cargas




O Sindicato de Empresas de Transporte de Cargas no Estado de Mato Grosso (Sindmat), Federação dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Estado de Mato Grosso (Fettremat ) e Sindicato dos Transportadores Rodoviários Autônomos de Bens de Mato Grosso (Sindicam-MT) cobraram nesta quarta-feira (04.07) ações mais efetivas da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp/MT) no combate ao roubo de cargas, assaltos a caminhoneiros e ataques a empresas do transporte do setor e que vem aumentando a cada dia no estado.

Durante mais uma reunião com secretário de Estado de Segurança Pública, Gustavo Garcia, o presidente do Sindmat, Eleus Vieira Amorim, expôs a preocupação com a ação cada vez mais frequente dos marginais, tanto pelos prejuízos materiais quanto ao risco iminente ao qual vivem submetidos.

“Nós estamos novamente aqui para saber do governo que ações estão sendo feitas ou podem ser feitas para nos garantir maior segurança, porque a situação está piorando e precisamos de uma resposta”, disse.

Eleus Amorim voltou a cobrar explicação do secretário sobre a proposta de criação da Delegacia Especializada em Roubos e Furtos de Cargas no estado e mais uma vez alertou a respeito dos índices assustadores de ataques, citando como exemplo os roubos de cargas de combustível, cargas fracionadas, agrícolas e também destacou a necessidade de combate aos receptadores.

O presidente do Sindmat inclusive apresentou um ofício recebido em junho passado da Fettremat cobrando ação do sindicato junto às autoridades para a intensificação do combate ao roubo de cargas, caso contrário os trabalhadores deflagrarão um grande protesto no estado.

Olmir Justino, vice-presidente da Fettremat e presidente em exercício do Sindicato dos Motoristas de Mato Grosso, reforçou a fala do presidente do Sindmat, afirmando que o objetivo de estar presente na reunião foi de cobrar ações mais concretas das autoridades diante da situação insustentável.

“A nossa preocupação é que se não houver um combate agora a tendência é aumentar. Nós já vimos que a segurança conseguiu reduzir o roubo de madeira, assaltos a bancos no interior e já está na hora de uma ação mais contundente contra o roubo de cargas, que está fora do normal. Houve promessa da criação de uma delegacia e até agora nada. O que vemos são pais de família sendo amarrados nas estradas, feitos refém dentro das transportadoras. Então queremos que o senhor possa mostrar realmente algo concreto para reverter isto, porque está aterrorizante andar nas rodovias”, reclamou Olmir Justino.

LEIA MAIS  PRF autua caminhoneiros que portavam rebites em caminhões

Em resposta, Gustavo Garcia pontuou que o intuito da reunião foi justamente de buscar soluções em conjunto com as forças de segurança para combater os crimes que vem acontecendo no transporte de cargas em geral. “Quero deixar registrado em ata que vamos criar um fluxo de trabalho prioritário para a contenção dos crimes de roubos e furtos de cargas no estado de Mato Grosso”, prometeu o secretário.

Sobre a delegacia, Garcia ponderou que exige um trâmite mais complexo, mas que acha viável o projeto“, porém temos que levar em consideração as questões técnica, financeira e orçamentária. Sou favorável à implantação, sem dúvida, e vamos trabalhar para futuramente construí-la”.

O secretário ainda garantiu a implantação de um grupo para discutir ações de combate ao roubo de cargas no estado. “Vamos criar um grupo de comunicação em conjunto com os senhores, estreitar os contatos e definir estratégias que possam garantir uma pronta resposta a estes crimes, além das medidas de prevenção de segurança contra os roubos e furtos de cargas no estado de Mato Grosso”, assegurou o gestor, isto por meio de operações integradas conto com o apoio da Policia Militar, Polícia Judiciária Civil por meio da Gerência de Combate ao Crime Organizado o (GCCO) e a Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Garcia ainda informou que o governo do estado vai reativar os postos de policiamentos estatuais em 90 dias e montar, em seguida, uma operação força-tarefa realizando as abordagens com participação ativa nas fiscalizações. “Isso, com certeza, vai inibir as ações criminosas nas rodovias”, afirmou.

LEIA MAIS  Carlos Ayala assume a presidência da DAF Caminhões Brasil

Presente na reunião, o superintendente da Polícia Rodoviária Federal (PRF/MT), Aristóteles Cadidé, ponderou que será muito importante a criação desse grupo de comunicação entre as forças de segurança pública e os representantes do transporte de carga, tendo em vista que a PRF vem investindo em comunicação.

“Estamos investindo em monitoramento e inteligência, adquirimos equipamentos de vídeo integrado estrategicamente em todo estado para que possamos interagir com uma comunicação digital e criptografada, melhorando a qualidade das informações recebidas e repassadas, possibilitando maior eficiência do combate ao crime nas rodovias”, disse Cadidé.

O empresário Luiz Antônio Villar de Sena comentou sobre a reunião. “Achei importante, principalmente a colocação do secretário em providenciar medidas a serem aplicadas em 90 dias e a possibilidade da criação da delegacia especializada em roubos e furtos de cargas no estado”.

Olmir Justino, vice-presidente da Fettremat, disse esperar que esse grupo de trabalho proposto pelo secretário crie um ponto de atenção especial para o segmento que “merece e é de interesse da sociedade”.

O presidente do Sindmat, Eleus Vieira Amorim, considerou que se as mediadas apresentadas pelo secretário Gustavo Garcia forem realmente colocadas em prática deverão contribuir para uma atuação mais forte no combate ao roubo de cargas no Estado. “Essa é mais uma das várias reuniões que já tivemos aqui na Sesp. Saímos com mais uma promessa positiva de melhorias para o setor por parte do secretário Gustavo Garcia, acreditando que muita coisa ainda pode ser feita nesse sentido”, ponderou.

Também participaram da reunião secretários adjuntos da Sesp/MT, delegados de polícia e representantes da Polícia Militar do Estado de Mato Grosso e do setor de seguros.




Deixe sua opinião sobre o assunto!