Volvo investe mais R$ 250 milhões e contrata 300 funcionários para segundo turno de produção




A Volvo teve um excelente resultado no segmento de caminhões pesados no Brasil, comercializando 9.138 veículos em 2018, 81% a mais que o registrado no ano anterior. O FH 540cv 6×4 também teve um ótimo desempenho no período, ao conquistar uma dupla vitória: o modelo ficou em primeiro lugar no ranking dos pesados e ainda foi o caminhão mais vendido no Brasil e na América Latina, considerando todas as classes. A empresa também foi a vice-líder no mercado total de caminhões, na divisão por todas as marcas.

“A Volvo se consolida mais uma vez como a melhor opção em transporte comercial no Brasil”, declara Wilson Lirmann, presidente do Grupo Volvo América Latina. Ele lembra que a Volvo tem uma participação de 26,3% no País, mais de um quarto do mercado total na categoria de pesados. “O desempenho do pesado Volvo FH, o caminhão mais vendido do continente, mostra o quanto nossa marca tem alto reconhecimento em todos os segmentos. Estamos muito orgulhosos em entregar o melhor caminhão nesse momento de retomada do mercado de transportes no País”, diz o executivo.

“Nossos caminhões são reconhecidos principalmente por sua grande disponibilidade, baixo consumo de combustível e alta tecnologia. O crescimento das vendas é um reflexo direto destes atributos e dos benefícios deles na redução do custo operacional”, comemora Alcides Cavalcanti, diretor comercial de caminhões Volvo. Muito procurado para operações de longa distância, o líder de vendas FH 540cv 6×4 teve 4114 unidades emplacadas, segundo dados do Renavam.

América Latina

O Brasil tem o maior mercado de caminhões pesados da América Latina, mas a Volvo também se destaca em outros países, como o Peru, onde a marca é líder absoluta neste segmento, com 27,9% de market share (1.215 caminhões pesados). A Volvo ainda tem boa performance nos mercados argentino, com 19,1% de participação (1.122 caminhões pesados) e chileno, com 17% do total (1.060 caminhões pesados).

A Volvo também foi a marca que mais cresceu no segmento de semipesados acima de 16 toneladas de PBT (Peso Bruto Total), com uma expansão de 66% nas vendas, um resultado bastante superior ao desse segmento no Brasil, que aumentou 32% na comparação com o período anterior. O VM, modelo da Volvo nesta categoria, teve um crescimento constante ao longo do ano, e no último trimestre atingiu uma participação de mercado de 10%. Levando-se em consideração todos segmentos em que atua, acima de 16 toneladas, a Volvo registrou o maior crescimento entre todas as marcas, com um aumento de 79% em relação a 2017, o equivalente a 10.642 unidades (20,2% de market share acima de 16 toneladas).

Segmento fora de estrada

Os caminhões da Volvo também estão conquistando cada vez mais os transportadores que atuam no segmento fora de estrada – áreas específicas, em que o transporte é mais severo e dedicado. No setor sucroalcooleiro (cana-de-açúcar), por exemplo, a marca é líder no segmento de caminhões pesados, com 46% de participação. A Volvo também foi a empresa que mais cresceu em market share no Brasil no transporte fora de estrada pesado, com uma elevação de 55%.

Seminovos e Pós-venda

A Volvo teve ainda um excelente resultado em seminovos, com a consolidação da maior rede de comercialização de veículos nessa área no Brasil. Por meio de uma plataforma digital única, o site seminovosvolvo.com.br, foram vendidos mais de 1,3 mil caminhões seminovos em 2018.

A área de pós-venda foi um dos principais focos da marca, sempre com o objetivo de melhorar ainda mais a satisfação dos transportadores. Um dos destaques do pós-venda foi o excelente resultado no ano de estreia do primeiro e-commerce de peças de fábrica do País, com um crescimento de vendas contínuo a cada mês. Outra importante iniciativa foi o aumento da oferta das “Peças clássicas Volvo”, visando atender caminhões acima de cinco anos com a qualidade e a segurança das peças genuínas Volvo.

No atendimento de serviços, a MIV (Manutenção Inteligente Volvo) apresentou um aumento de mais de 180% nos agendamentos das manutenções dos caminhões nas concessionárias espalhadas pelo Brasil. São quase seis mil caminhões conectados à MIV, proporcionando aos transportadores um menor tempo parado nas oficinas e maior disponibilidade do veículo.