PRF e Ibama fiscalizam transporte de produtos perigosos e emissão de poluentes no MT




A Polícia Rodoviária Federal (PRF), em ação conjunta com Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), realizou, de 14 a 16 de maio, um comando de fiscalização com foco no transporte rodoviário de produtos perigosos e emissões veiculares.

Os trabalhos se concentraram na BR-163, nos municípios de Sorriso e Nova Santa Helena. Nos três dias de fiscalizações, os agentes inspecionaram mais de 30 veículos de carga e flagraram diversas infrações no transporte de produtos perigosos e também relativas à Lei dos Crimes Ambientais.

Veículos foram flagrados utilizando como combustível o Diesel S500, quando a previsão legal para os veículos pesados fabricados a partir de 2012 prevê que somente devem utilizar o Diesel S10, com 50 vezes menos teor de Enxofre, logo menos poluente.

Outros motoristas foram autuados por fraude no sistema anti-poluição (SCR – Sistema de Redução Catalítica Seletiva), que elimina a emissão de Óxidos de Nitrogênio na atmosfera.

Os veículos que apresentaram fraude no SCR foram removidos e foram confeccionados Termos Circunstanciados de Ocorrência, encaminhados ao Poder Judiciário Estadual, bem como ao Ministério Público para apuração de Crime Ambiental.




3 comentários em “PRF e Ibama fiscalizam transporte de produtos perigosos e emissão de poluentes no MT

  • 20/05/2019 em 22:47
    Permalink

    Porquê não fiscalizam a tabela de frete? Brasil sendo Brasil.

    Resposta
  • 20/05/2019 em 22:10
    Permalink

    Isso se chama intimidação, pois o que teriam que fiscalizar para esse pessoal ter condições de andar certo ,não o fazem! Isso e Brasil .

    Resposta
  • 20/05/2019 em 22:00
    Permalink

    Grandes transportadoras estão usando o s500 e desligando o sistema de arla. E só a federal puxar a quantidade de caminhões que a mesma tem e ir na garagem verificar o consumo dos produtos que não bate com o da frota existente. Não vou dar nomes aos bois. Mas são várias.

    Resposta

Deixe sua opinião sobre o assunto!