Familiares dos motoristas venezuelanos contratados pela Transpanorama chegam em Maringá nesta quinta




Nesta quinta-feira (24), às 16h30, a Transpanorama Transportes, com o apoio do Exército Brasileiro (Missão Acolhida) e da ONU, traz para Maringá (PR) as famílias dos 38 venezuelanos selecionados para trabalharem nas operações da empresa como motoristas carreteiros. Neste primeiro ciclo, chegarão 49 familiares. Em sua maioria, esposas e filhos. Damares Alves, Ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos confirmou presença. Ela estará acompanhada de uma comitiva formada por 12 deputados federais.

Os familiares chegarão no avião da FAB (Força Aérea Brasileira) e serão recepcionados no Sest Senat, em Maringá (PR). O Exército fez a triagem médica, em Boa Vista (RR), providenciando a vacinação e os trâmites legais.

Na recepção, os familiares serão acolhidos por membros da empresa – ao todo serão 24 voluntários – selecionados na Transpanorama. Após a cerimônia de chegada, eles serão conduzidos até as residências alugadas pela transportadora. No total, são 12 casas, que já estarão mobiliadas e com geladeira farta.

Suporte

Assim que desembarcarem, os familiares receberão atendimento básico para verificar como estão as condições de saúde no momento da chegada, em seguida serão encaminhados para o atendimento médico integral, conforme suas necessidades. A UBS (Unidade Básica de Saúde) estará presente com uma “farmácia”, para fazer a distribuição de medicamentos; e o SEST SENAT disponibilizará profissionais, como nutricionistas, fisioterapeutas, dentistas e psicólogos.

Moradia

A Transpanorama levou em consideração alguns requisitos para providenciar o lar para essas famílias: mapeamento da região, valor, acesso à serviços públicos e espaço do ambiente para comportar todos os membros da família.

Após a chegada dos familiares, será feita a integração, acompanhamento e fortalecimento dos vínculos. Além de atendimento médico e integração às UBS da cidade, haverá assistência jurídica e profissional (emissão de documentos e cadastro em programas públicos e apoio para recolocação no mercado de trabalho), assistência educacional (cursos de português, revalidação de diplomas, integração às creches, escolas e faculdades) e assistência emocional (cursos, acompanhamentos psicológicos, pastoral, familiar e auxílio na resolução de conflitos).

Esse projeto nasceu da parceria entre a Transpanorama e o Instituto Sendas, com o objetivo de acolher e integrar as famílias dos colaboradores venezuelanos que recentemente foram incorporados à empresa.

Efetivação

Os venezuelanos contratados como motoristas passaram por processo seletivo em Boa Vista (RR), no final de junho e chegaram em Maringá no dia 9 de julho e, desde então, fizeram treinamentos teóricos e práticos. Recentemente, eles encerraram todo o processo exigido pela empresa e receberam o certificado de formatura. No total, cada um passou por 520 horas de treinamento.

Retrospectiva

Desde que chegaram a Maringá em julho, os custos dos venezuelanos foram mantidos pela Transpanorama, como alojamento, alimentação e lavanderia. A ideia de trazê-los para trabalharem nas operações teve duas finalidades: contribuir humanitariamente e contratar motoristas para atuarem como folguistas e que cubram férias. Mesmo com o recrutamento e seleção dos estrangeiros, a Transpanorama continuou realizando a contratação de motoristas brasileiros, normalmente.

Os motoristas receberam todo o suporte para fazer a transferência da CNH venezuelana para a brasileira, foram treinados e em seguida iniciaram as viagens com os caminhões da transportadora. Durante 30 dias, eles estão sendo acompanhados por um motorista padrinho, ou seja, um colaborador da empresa com anos de experiência na boleia.





9 comentários em “Familiares dos motoristas venezuelanos contratados pela Transpanorama chegam em Maringá nesta quinta

  • 29/10/2019 em 16:37
    Permalink

    muito louvável a iniciativa desta empresa mais como fica a situação dos motorista brasileiros que trabalha quase em regime de escravidão

    Resposta
  • 28/10/2019 em 10:19
    Permalink

    Não sou contra nada disso mas vendo esse tratamento a eles fico muito triste pois 90% por cento dos nossos motoristas caminhoneiros vivem uma vida totalmente insalubre são desvalorizados humilhados esse tratamento vip ai relatado nunca chegara a todos.

    Resposta
  • 25/10/2019 em 23:01
    Permalink

    Parabéns pelo projeto
    Mais eu gostaria de saber de uma coisa
    Porque temos muitos aqui desempregados precisando trabalhar
    Muitos tem sonho de ser caminhoneiro
    Mas não tem experiência
    Ai as empresas não daõ oportunidade
    Por quê em outros casos sim?

    Resposta
  • 25/10/2019 em 13:55
    Permalink

    É sério isto ??????
    Porque tem muito pai de família aqui no Brasil é não tem uma oportunidade d iniciar uma carreira profissional está 🤬

    Resposta
  • 24/10/2019 em 09:01
    Permalink

    Acho a iniciativa muito generosa, dado o momento de crise na Venezuela, mas, aqui no Brasil, temos pessoas que também precisam de uma oportunidade como essa. Eu, por exemplo, com sessenta e seis anos, com larga experiência em vários tipos de carretas e estradas, não consigo, mais nenhuma chance, apesar de gostar da minha profissão e necessitar de trabalho.

    Resposta
    • 29/10/2019 em 07:42
      Permalink

      Por que dá oportunidade para motorista de outros países se nós aqui tem muito motoristas que não tem essa oportunidade esse é o Bra

      Resposta
  • 23/10/2019 em 20:56
    Permalink

    Tem espaço para todos. Basta haver solidariedade e fraternidade.

    Resposta

Deixe sua opinião sobre o assunto!