Caminhoneiros brasileiros esperam dias por liberação na fronteira do Paraguai com o Brasil

por Blog do Caminhoneiro

Caminhoneiros brasileiros estão ficando vários dias parados até serem liberados, em locais sem nenhuma estrutura. A demora tem causado diversos prejuízos a caminhoneiros e às transportadoras.

“Nós estamos aqui há uma semana, na rua, parados na avenida e sem apoio de ninguém. Tem motorista aqui que já tá faltando comida”, disse o caminhoneiro Marcio Natalino.

De acordo com os caminhoneiros, longas filas se formam em Ciudad del Este no Paraguai. No local não existem postos de combustíveis, restaurantes ou banheiros adequados, e os caminhoneiros precisam ficar nos veículos para evitar roubos.

A fronteira está parcialmente fechada, devido às restrições para combate do Coronavírus. A Receita Federal brasileira está verificando todos os caminhões que passam para o lado do Brasil, com ajuda de um scanner. De acordo com os motoristas, falta operadores para o equipamento.

De acordo com a Receita Federal do Brasil, o problema não está na fiscalização. O órgão diz que o equipamento é rápido. Em cerca de um minuto o scanner analisa cada veículo. A demora estaria do outro lado da fronteira.

“Nós temos verificado que o problema é do outro lado. A gente tem feito imagens aqui diárias. A ponte fica vazia a maior parte do tempo e, de repente, por causa do Paraguai, às vezes, há sobrecarga de veículo”, disse o chefe da divisão de bagagens da Receita federal, Cezar Viana.

A Marinha paraguaia, responsável pelo outro lado da fronteira, diz que a demora é por causa dos brasileiros. Com esse embate, os caminhoneiros continuam sofrendo.

Donos de transportadoras dizem que já estão tendo prejuízos, e que os caminhoneiros poderão até passar fome na estrada por estarem do outro lado da fronteira.

A Associação Brasileira de Transportes Internacionais (ABTI) se preocupa com uma possível falta de caminhões para o transporte entre os dois países.

“A nossa preocupação, nesse sentido, é de que logo não tenhamos mais caminhoneiros para poder mandar carregados no Paraguai. Então a balança comercial, tanto do Paraguai quanto a do Brasil, será afetada”, disse a gerente da ABTI, Gladys Vinci. Com informações de RPC TV.

Blog do Caminhoneiro

COMENTAR

QUER ENTRAR EM CONTATO COM O BLOG DO CAMINHONEIRO? ENVIE UMA MENSAGEM CLICANDO NO NÚMERO ABAIXO

042-98800-6519

Artigos relacionados

1 comentário

Zé Cueca 28/05/2020 - 17:32

Fácil resolver a situação, é só ninguém carregar para esses lugares, ai quero ver como liberam rapidinho!
Enquanto a conta só fica nas costas do caminhoneiro, ninguém se movimenta para a solução, somente uma ação conjunta de caminhoneiros é que a coisa muda!
Mas como somos todos “cordeirinhos” e só “berramos” reclamamos, ai vamos passando por todo tipo de arbitrariedade entre os dois países!
Como tanto Brasil como Paraguai tem interesse no comércio e, ninguém olha para a ponta da linha que é o caminhoneiro!

Reply

Escreva um comentário