Região Sul tem o diesel mais barato do Brasil

por Blog do Caminhoneiro

De forma consecutiva, a Região Sul lidera o ranking de preços baixos da gasolina em comparação com outras regiões brasileiras. Os dados da primeira quinzena de maio, apontados pelo Índice de Preços Ticket Log (IPTL) ressaltam que o Sul também concentra os menores valores para o diesel comum e o S-10, comercializados a R$ 2,846 e R$ 2,905, respectivamente. Outro destaque local é o fato de o Rio Grande do Sul apresentar no período o valor mais caro para o litro do etanol, R$ 3,827, enquanto o Paraná lidera o ranking do diesel comum e do S-10 mais baixos de todo o País.

“O Sul não só vem sendo destaque frequente na relação dos menores preços da gasolina e do diesel no País, como também vem aumentando sua variação no comparativo com outras regiões. Nos primeiros 15 dias de abril, a gasolina era 7% mais barata no Sul do que no Sudeste. Quando analisamos o mesmo período de maio essa diferença já passou para 8%”, afirma o Head de Mercado Urbano da Edenred Brasil, Douglas Pina.

Ao analisar o comportamento dos preços por Estado, o IPTL apontou que, na primeira quinzena do mês, o Paraná continua com os preços mais baixos de: gasolina (R$ 3,574), diesel (R$ 2,733), diesel S-10 (R$ 2,789) e etanol (R$ 2,583). Já o Rio Grande do Sul apresentou os maiores valores em todos os combustíveis detalhados no estudo: gasolina (R$ 3,892), diesel (R$ 2,908), diesel S-10 (R$ 2,979), etanol (R$ 3,827) e gás natural veicular (R$ 3,539). Santa Catarina apresentou o preço mais baixo do GNV, com R$ 2,997, ante os R$ 3,239 cobrados no Paraná.

Cenário nacional: gasolina e diesel com menor preço médio em dois anos

O estudo também revela que no cenário nacional, a primeira quinzena de maio começa com um novo recuo no preço médio da gasolina e uma marca histórica para o combustível. Com o litro vendido a média de R$ 3,985, é o menor valor registrado no País desde agosto de 2017, quando era vendido a R$ 3,896. Com dois anúncios recentes de aumento no repasse do combustível às refinarias, a alta ainda não se refletiu nas bombas.

O etanol apresentou um recuo de 7,24% nas bombas, com o valor médio de R$ 3,201. O diesel também recuou 7,34%, em relação ao fechamento de abril, quando o litro foi vendido a R$ 3,501. O combustível, que lidera o consumo em todo o território nacional, apresentou no período o seu menor valor médio desde 2017, quando registrou, em janeiro, a média mais próxima desse valor que foi de R$ 3,247.

Nos postos da Região Norte estão os Estados com o menor e o maior preço médio para a gasolina em todo o País: Amapá, com o litro vendido a R$ 3,343; e Pará, a R$ 4,430. No Nordeste, o destaque é para o maior recuo para o combustível entre todas as regiões brasileiras, com baixa de 6,79%, no comparativo com o fechamento de abril.

Na Região Sudeste, o comportamento foi de baixa para todos os tipos de combustível, com recuo de: 5,63%, para a gasolina; 6,15%, para o etanol; 7,18%, para o diesel; e 2,41% para o gás natural veicular (GNV). Outro destaque local é o Estado de São Paulo, que apresentou o menor preço do litro do etanol, comercializado a R$ 2,384, um recuo de 8%, no comparativo com abril.

A Região Centro-Oeste apresentou baixa para o diesel comum e tipo S-10, e para a gasolina, porém o destaque foi para o etanol, considerado o valor mais baixo do País, comercializado a R$ 2,841, e queda de 7,13% em relação a abril.

O IPTL é um índice mensal de preços de combustíveis levantados com base nos abastecimentos realizados nos 18 mil postos credenciados da Ticket Log, que tem grande confiabilidade, por causa da quantidade de veículos administrados pela marca: 1 milhão ao todo, com uma média de oito transações por segundo. A Ticket Log, marca de gestão de frotas e soluções de mobilidade da Edenred Brasil, conta com mais 25 anos de experiência e se adapta às necessidades dos clientes, oferecendo soluções modernas e inovadoras, a fim de simplificar os processos diários.

COMENTAR

QUER ENTRAR EM CONTATO COM O BLOG DO CAMINHONEIRO? ENVIE UMA MENSAGEM CLICANDO NO NÚMERO ABAIXO

042-98800-6519

Artigos relacionados

1 comentário

Gato Preto 29/05/2020 - 18:20

O que tem maior impacto no preço do combustível é a ganancia de governos e do cartel de distribuidores e donos de postos!
Vejamos: Paraná a refinaria REPAR da Petrobras tem sido constantemente alvo de burocratas para vendê-la aos concorrentes, no RS a refinaria Alberto Pasqualini REFAP, também da Petrobras está no menso caminho da privatização, ,pergunto: hoje já temos inumaras cias de distribuição no Brasil como Total, Shell, Exon e o preço do produto não cai de preço e nenhuma delas quiseram construir uma refinaria, isso porque é muito mais confortável comprar apreço de bananas o que foi construído com o dinheiro do povo e esses burocratas que não pregaram um prego sequer para construir, desejam desesperadamente entregar esse patrimônio publico ao capital principalmente externo! Algo está errado! Por onde andam os ditos “patriotas” e generais que deveriam proteger o patrimônio do povo e não ser cúmplices da entrega de tudo? O preço dos combustíveis são caros para propiciar condições dessas multis entrar no nosso mercado, pois competir com a Petrobras nenhuma delas querem! Não cabe na minha imaginação um absurdo desses!
A Petrobras tem de sair da lista das privatizações, assim como Eletrobras, e demais cia nacionais!
Fora entreguistas!

Reply

Escreva um comentário