VÍDEO – Scania realiza crash test entre Golf e caminhão elétrico para testar segurança das baterias

por Blog do Caminhoneiro

Uma das prioridades de todas as montadoras que estão desenvolvendo soluções de combustíveis alternativos, como gás, hidrogênio e eletricidade, é a segurança dos seus veículos. Por isso, a Scania gastou meses em planejamento para realizar uma batida controlada entre um automóvel Volkswagen Golf e uma caminhão Scania elétrico, equipado com baterias.

O crash test real só acontece depois da montadora ter realizado dezenas de simulações em computador, e serve apenas para confirmar os resultados obtidos nos testes virtuais. Com a tecnologia atual, a computação obtém praticamente os mesmos resultados do mundo real.

“O teste de colisão real é, em última análise, apenas para confirmar que nossos cálculos foram precisos”, diz o engenheiro de testes Jakob Leygraf, da Scania.

“Muitos esforços de desenvolvimento dispensam um teste de colisão como este. Simulamos continuamente, com diferentes velocidades e ângulos. A simulação virtual é uma ferramenta poderosa, mais rápida e barata do que o equivalente em escala real. Baseamos o teste real nos resultados de nossas simulações. Os usuários, com razão, têm altas demandas de segurança, e nós também”, disse Mikael Littmann, chefe de testes mecânicos da Scania.

Além dos testes com o caminhão completo, são realizados dezenas de testes com componentes isolados, visando a segurança do conjunto.

Para evitar que componentes elétricos críticos, como as baterias, sofram danos durante acidentes, o desenvolvimento dos componente é diferente do que acontece com um caminhão convencional. Com isso, a energia da colisão é transferida para a estrutura ao redor da bateria. O ideal é que aconteçam danos apenas em componentes mais simples.

“Como queremos que o teste de colisão seja o mais autêntico possível, usamos um carro de verdade para o impacto, pois isso coloca muito mais estresse na estrutura do que se tivéssemos usado uma barreira móvel”, continua Littmann.

Apesar da Scania ter absoluta certeza de que a estrutura das baterias resistiria ao impacto, bombeiros ficaram de prontidão no local. O teste ocorreu conforme o esperado, e as baterias saíram ilesas. Já o VW Golf não teve a mesma sorte.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

COMENTAR

Artigos relacionados