Milhares de caminhoneiros ficam presos na Inglaterra por causa do Covid-19

por Blog do Caminhoneiro

Desde segunda-feira, milhares de caminhoneiros europeus estão presos na Inglaterra, devido ao fechamento de fronteiras por conta que uma variante nova do coronavírus foi identificada no país. Com isso, muitos desses motoristas devem passar o Natal no Aeroporto de Manston, para onde os caminhões tem sido enviados.

Para piorar a situação, os caminhoneiros estão sofrendo grandes restrições. Não podem sair das cabines, nem cozinhar sua comida, e tem pouca assistência no local.

Além do aeroporto, onde já estão cerca de 3.500 caminhões, várias rodovias estão com os acostamentos lotados de caminhões parados, muitos com destino à França.

O governo britânico tem tentado acordos para retornar o fluxo de cargas, não só pelas estradas, mas também ferroviárias e aéreas para outros países, sem sucesso até agora. Devido aos bloqueios, podem faltar itens de alimentação e higiene para a população do país.

Nova cepa do coronavírus

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, disse recentemente que uma nova variante (cepa) do coronavírus foi identificada no país, e que possivelmente é mais contagiosa, o que acendeu o alerta em diversos países e levou ao fechamento das fronteiras.

Apesar da fala do primeiro-ministro, cientistas alertam que a população não entre em pânico, já que não existem dados suficientes sobre essa mutação, que ainda está sendo avaliada.

Liberação dos motoristas

Alguns caminhoneiros, principalmente franceses, puderam seguir viagem, depois de realizarem testes do coronavírus no Aeroporto de Manston.

Apesar disso, a execução dos testes está demorando, o que não deve reverter a situação da maioria dos caminhoneiros antes do Natal.

Já foram registrados protestos de motoristas, que, além de poderem ir para casa, pedem mais informações.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro | Fotos de Swift Aerial Photography

COMENTAR

QUER ENTRAR EM CONTATO COM O BLOG DO CAMINHONEIRO? ENVIE UMA MENSAGEM CLICANDO NO NÚMERO ABAIXO

042-3532-4235

Artigos relacionados

Deixe sua opinião sobre o assunto!