Picape chinesa vendida na África tira nota Zero em teste de colisão

por Blog do Caminhoneiro

O Global NCAP, uma entidade de segurança viária responsável por testes de segurança de veículos por todo o mundo, destacou uma situação preocupante com a picape Great Wall Steed 5, produzida na China para o mercado africano. Além do teste com essa picape, os modelos Haval H1, que é um SUV, e o Renault Kwid, tiveram notas desastrosas nos testes.

Para a entidade, o continente africano não pode continuar a receber veículos que não são autorizados a circular em nenhuma outra parte do planeta, devido à questões de segurança.

Testada na versão básica, sem airbags, a Steed 5 se saiu muito mal. Durante a colisão, o habitáculo foi muito deformado, e o volante e coluna de direção se deslocaram, acertando a cabeça do motorista com força. Os testes revelaram que os bonecos de teste tiveram muito danos, principalmente na cabeça, peito e pescoço.

Mesmo se estivesse equipada com airbags, o motorista não teria mais sorte. Com o movimento da coluna de direção, a cabeça continuaria a ser impactada.

Além da área superior do corpo com ferimentos, os cintos de segurança não conseguiram travar os bonecos no lugar, e os pés também tiveram ferimentos, devido à deformação da cabine. A colisão aconteceu a 64 km/h, contra uma barreira deformável.

Para as crianças, por não ter dispositivos de retenção como o Isofix, a picape também obteve nota zero. O bebê conforto não ficou preso ao assento, e o boneco que simula uma criança de três anos se quebrou durante o impacto.

Outros modelos

O Renault Kwid vendido na África, apesar de ter semelhanças com o modelo vendido em outras partes do mundo, se saiu muito pior nos testes. O Kwid vendido no Brasil recebeu três estrelas em testes de colisão realizados pela Latin NCAP, e apenas duas no teste com o modelo africano, que foi testado pela Global NCAP.

O Haval H1, modelo do tipo SUV, também obteve apenas duas estrelas. Nesse veículo, o motorista teve sérios ferimentos no abdômen e nas pernas.

Campanha

A Global NCAP iniciou uma campanha para aumentar a segurança dos veículos vendidos na África. Desde 2017, a #SaferCarsForAfrica busca cobrar as montadoras para que produzam veículos melhores, mais confortáveis e mais harmonizados com o restante do planeta para aquele continente.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

COMENTAR

Artigos relacionados

1 comentário

Ezequiel Neto 08/12/2020 - 11:53

Aí está mais um caso da absoluta imprestabilidade dos produtos da China. A preocupação dos chineses é com a quantidade, com a produção em larga escala. A qualidade e segurança pra eles é coisa sem a mínima importância. Jamais tive experiência positiva com produtos da China e não os quero mais nem de graça, até porque terei que pagar consertos. Os americanos simplesmente boicotaram os produtos chineses. Nos Estados Unidos só se encontra algumas mercadorias chinesas em lojas de bagulho na rede “Dolar Tree”. Nós, brasileiros deveriamos fazer a mesma coisa mas aceitamos porcarias apenas pelo baixo preço. Diferença entre Primeiro e Quarto Mundo…

Comments are closed.