Bolsonaro assina decreto que prevê a modernização das rodovias do país

por Blog do Caminhoneiro

O Presidente da República, Jair Bolsonaro, assinou ontem um decreto que criou a Política de Modernização da Infraestrutura Federal de Transporte Rodoviário, a chamada [email protected] O texto deverá ser publicado no Diário Oficial da União da próxima segunda-feira.

O decreto prevê o aumento da segurança e fluidez das rodovias federais, por meio de tecnologia e elaboração de estudos para aprimorar as regulamentações do setor.

De acordo com estudo sobre impactos dos acidentes de transporte no Brasil, elaborado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), os custos com sinistros nas estradas do país ultrapassam a marca de R$ 130 bilhões por ano.

O [email protected] prevê a busca por soluções para tornar as rodovias mais seguras, amigáveis e mais tolerantes com os erros dos condutores, reduzindo de forma imediata o número de vítimas das rodovias.

Ampliando a segurança viária e fluidez, a [email protected] pretende reduzir os acidentes, que causam impacto direto nas famílias, com a perda de pessoas e, muitas vezes, de renda, que também causa impacto para toda a sociedade com os altos custos médicos com o SUS.

Em tecnologia, o programa busca melhorar o padrão de construção e operação das rodovias, com uso de técnicas e materiais mais modernos, sustentáveis e de maior eficiência, e também aprimorar o uso de aparelhos de monitoramento e ter soluções de conectividade.

O governo estima que a [email protected] tenha potencial de investimento acima de R$ 10 bilhões em rodovias concedidas. E, nos trechos sob gestão pública, dependerá para sua consecução apenas dos recursos orçamentários já regularmente previstos. A isso se somam os ganhos gerados pela racionalização desses recursos, como consequência da gestão integrada de programas e da articulação e cooperação entre os órgãos envolvidos.

As ações serão coordenadas pelo Ministério da Infraestrutura (Minfra) e envolverá a articulação de vários órgãos, em especial a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT).

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

COMENTAR

Artigos relacionados

Deixe sua opinião sobre o assunto!