Mercedes-Benz amplia exportação de caminhões e ônibus

por Blog do Caminhoneiro

A Mercedes-Benz registrou uma alta expressiva na exportação de veículos produzidos no Brasil, especialmente caminhões e ônibus. No ano passado, a marca enviou 8.026 unidades para países da América Latina e de mercados Overseas, como o MENA (Oriente Médio e Norte da África), frente a 4.530 caminhões em 2020, registrando uma alta de 77%.

Além da alta nos caminhões, a montadora também exportou 3.129 chassis de ônibus para esses mercados, o que representa mais de 13% de crescimento na comparação com as 2.761 unidades de 2020. No total, a Mercedes-Benz do Brasil exportou 11.155 veículos comerciais em 2021, com incremento de 53% nas vendas sobre o ano anterior.

“Esses números consolidam a Mercedes-Benz do Brasil como uma das maiores exportadoras de veículos comerciais do País, reafirmando uma tradição de mais de 60 anos de vendas de seus ônibus e caminhões para o mercado internacional. Apesar dos desafios de abastecimento e logística, em conjunto com nossos parceiros focamos em fortalecer ainda mais nosso negócio de exportação”, diz Achim Puchert, presidente da Mercedes-Benz do Brasil & CEO América Latina.

Consolidação da marca em Mercados Overseas

Em 2021, a Mercedes-Benz do Brasil mais do que dobrou o volume de exportação de caminhões para países do MENA, alcançando 117% de crescimento em comparação ao ano anterior. Foram 571 caminhões embarcados no ano passado, frente a 263 de 2020.

“Nossa expectativa é alcançar, em 2022, o recorde nas exportações de caminhões para mercados Overseas dos últimos 20 anos”, projeta Achim Puchert. “Isso é resultado do trabalho de equipes e parceiros de negócios altamente engajados, com forte dedicação e foco no cliente”.

No ano passado, a área de Exportações da Mercedes-Benz do Brasil realizou diversos eventos online com a participação de clientes de cerca de 30 países. Nessas oportunidades, foram reforçadas as características dos caminhões oferecidos pela marca e do amplo portfólio. Como resultado, a Empresa exportou caminhões extrapesados brasileiros para esse mercado. Além dos consagrados modelos Accelo e Atego, os clientes passaram a contar com toda a robustez e qualidade dos caminhões Axor para diversas operações.

“O Accelo e o Atego já operam com eficiência e produtividade tanto nas cidades e estradas, quanto em condições adversas, como nas vias não pavimentadas, desertos, temperaturas elevadas e topografia irregular, muito comuns naquela região. Agora a linha Axor amplia essa oferta”, diz Rogério Sousa, gerente de Vendas e Pós-Vendas para Exportação de Veículos, Peças e Serviços Caminhões e Ônibus da Mercedes-Benz do Brasil, que responde pelo atendimento a mercados Overseas, como os países do MENA, Ásia, Oceania e Argentina. “Além de reconhecer a qualidade dos produtos, os clientes locais dão muito valor à confiabilidade da marca e ao suporte de atendimento e assistência técnica que a Mercedes-Benz oferece em qualquer lugar do mundo, em parceria com os concessionários e os escritórios regionais da Daimler Truck”.

Expressivo crescimento nas exportações para América Latina

A Mercedes-Benz também alcançou um expressivo crescimento de 243% nas vendas de caminhões a países da América Latina, excetuando-se a Argentina, que é atendida pela área de mercados Overseas. Foram 2.810 caminhões para mercados da região no ano passado, frente a 819 de 2020. Em relação a chassis de ônibus, foram exportadas 821 unidades, cerca de 78% a mais em relação às 462 unidades do período anterior.

“Alcançar mais do que o dobro de crescimento nas exportações de caminhões para esse mercado reflete a recuperação muito forte em países como Chile, Peru e Colômbia, devido à alta de preço das commodities no mercado internacional, o que traz muitas vantagens para o agronegócio e a mineração”, ressalta Jens Burger, diretor geral do Centro Regional Daimler América Latina, unidade localizada junto à fábrica da Mercedes-Benz do Brasil em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista.

“No caso do segmento de ônibus, os efeitos da pandemia, como a redução no número de passageiros, tornam a retomada da normalidade do mercado mais lenta”, diz Jens. “Mesmo assim, registramos o incremento de quase 78% nas nossas exportações de chassis Mercedes-Benz. Assim como no Brasil, o setor de fretamento também teve papel importante nas vendas de ônibus na região”.

“Por meio de nossa consultoria de ônibus para a América Latina, a Mercedes-Benz busca sempre entregar a melhor solução de transporte para cada país com produtos inovadores, que oferecem segurança e o melhor custo benefício, além de conforto aos passageiros”, diz Jens Burger.

O Centro Regional América Latina foi criado com o propósito de expandir e desenvolver as marcas de veículos comerciais da Daimler Truck na região. A unidade disponibiliza serviço de vendas e de pós-venda totalmente dedicado e exclusivo, oferecendo aos clientes soluções inteligentes para o transporte de cargas e de passageiros por meio de inovação e tecnologia.

Essa unidade de negócios exporta caminhões e ônibus para mais de 40 países da América do Sul, América Central e Caribe. Atualmente, Chile, Peru, Colômbia, Equador, República Dominicana e El Salvador são os principais mercados cobertos pelo Centro Regional América Latina.

O Centro Regional América Latina é responsável por triangular as relações, demandas e necessidades de cada mercado junto à Mercedes-Benz do Brasil e aos escritórios centrais da Daimler Trucks & Buses na Alemanha, EUA, Japão e Índia. Ele representa caminhões Mercedes-Benz fabricados no Brasil e na Alemanha, modelos da Freightliner dos EUA e México, Western Star dos EUA e caminhões FUSO produzidos no Japão e na Índia. Do mesmo modo, representa os chassis de ônibus produzidos no Brasil e em outras unidades globais da Daimler.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

Deixe um comentário!