Produção de cabines Scania na Europa passa a ser totalmente livre do uso de combustíveis fósseis

por Blog do Caminhoneiro

A Scania anunciou nesta semana que sua fábrica de cabines em Oskarshamn, na Suécia, começou 2021 sendo totalmente livre do uso de combustíveis fósseis. Essa é a primeira unidade da montadora a eliminar totalmente os elementos que produzem emissões de carbono na atmosfera.

O compromisso da Scania é reduzir as emissões de CO2 em 50% até 2025 em suas fábricas, tendo como referência as emissões do ano de 2015. Os veículos e motores produzidos pela montadora também deverão ser 20% mais limpos em 2025.

A fábrica de Oskarshamn ultrapassou a meta estabelecida bem antes do prazo final. A fábrica produz anualmente cerca de 70.000 cabines, principalmente para as fábricas europeias da Scania na França, Holanda e Suécia. O processo é altamente automatizado consiste em cinco etapas: prensagem, soldagem, pintura com primer, pintura de acabamento e montagem.

“Este é um passo importante, não apenas para nós aqui em Oskarshamn, mas para a Scania como um todo. E estamos felizes por termos contribuído para essa meta”, disse o gerente da fábrica, Roger Blezell.

As principais modificações na fábrca foi a substituição de três fornos, que realizam a secagem das pinturas e selantes das cabines, que anteriormente usavam diesel, e agora passam a ser alimentados por éster metílico da semente da colza, um tipo de biodiesel. Somente essa mudança reduzir as emissões da fábica em 60%.

Empilhadeiras que ainda eram movidas a diesel também foram substituídas por modelos elétricos, e os caminhões e outros veículos usados dentro da fábrica passaram a ser abastecidos com HVO (óleo vegetal hidrotratado).

“O maior desafio com o projeto foi obter neutralidade de custos. Normalmente, o que é bom para o meio ambiente também é bom para a carteira, mas neste caso é mais caro. Apesar disso, optamos por implementar o projeto e, em vez disso, recuperar o custo agregado por meio de outras medidas de economia de energia e maior produtividade”, disse Pernilla Zackrisson, Gerente de Sustentabilidade da Oskarshamn.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

COMENTAR

Artigos relacionados

Deixe sua opinião sobre o assunto!