Iveco apresenta o modelo T-Way para substituir o Trakker na Europa

por Blog do Caminhoneiro

O peso pesado Iveco Trakker ganhou um substituto à altura. A Iveco apresentou ontem os novos caminhões T-Way, que completam a linha Way, que também tem os modelos S-Way e X-Way. A linha T-Way é voltada para operações severas, como mineração, e outras operações que precisam de grande capacidade de carga e robustez acima da média.

“Hoje abrimos um novo capítulo na extraordinária história off-road da Iveco com o lançamento do Iveco T-Way, herdeiro do trono do Trakker como o ‘mais forte dos mais pesados’. Este veículo extra forte, um verdadeiro campeão em desempenho, robustez e durabilidade, consolidará ainda mais a presença da Iveco no setor off-road pesado. O Iveco T-Way completa a renovação da nossa linha pesada Way, que é agora uma das mais novas, completas e inovadoras do mercado”, disse Luca Sra, Diretor de Operações da Unidade de Negócios de Caminhões da Iveco.

O novo caminhão se destaca pelo grande desempenho em operações fora-de-estrada, com grande robustez e rigidez torcional, e é construído com chassi com aço de alta resistência, com 100 mm de espessura.

O sistema de redução nos cubos é padrão para todas as versões, visando maximizar o torque e o desempenho. Além disso, o modelo conta com nova suspensão traseira em tandem, mais reforçada, que otimiza o peso do veículo, melhora o desempenho off-road e oferece maior distância do solo e maior ângulo de entrada.

O caminhão é equipado com o robusto motor FPT Cursor 13, de 13 litros de cilindrada e 6 cilindros, com até 510 cavalos de potência. A montadora também oferece o motor Cursor 9 para operações mais leves.

O caminhão recebe a nova caixa de câmbio automatizada Hi-Tronix, de 12 ou 16 marchas, que recebeu novas tecnologias para melhorar a eficiência off-road, como o Hill Holder para ajudar na partida em encostas íngremes, Modo Rocking para ajudar a recuperar a tração em condições escorregadias e Modo Creep para velocidade ultrabaixa.

Na estrada, o caminhão conta com o Hi-Cruise, que aumenta a eficiência da transmissão, com mudanças de marchas de forma preditiva, controle de cruzeiro, função Eco-roll, que é uma banguela controlada, garantindo o uso da melhor marcha em qualquer condição.

O caminhão pode ser encomendado em versões rígida ou cavalo-mecânico, com chassi 4×4, 6×4, 6×6, 8×4 ou 8×8 na versão rígida, e 4×4, 6×4 ou 6×6 na versão cavalo-mecânico.

A nova cabine oferece um design completamente novo para o modelo, com maior conforto para o motorista, opção de cabine simples ou leito e possibilidade de ser produzida com teto baixo ou alto.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

1 comentário

Luiz C. I. Silva 03/05/2021 - 07:09

Infelizmente não é bem isto que está acontecendo….
Já tinha uma Daily 18/19 um carro bom e tive assistência foi boa pois tive um problema no câmbio e trocaram o câmbio.
Devido a isso comprei outra em junho de 2.020.
Nova Daily 35-150.
E esse veiculo já vem com um problema sistêmico o mesmo que acontecia com a Amarok.
Bomba se desfaz e solta limalha contaminado tô sistema.
E como trabalho com o carro no uso rodoviário fazendo viagens norte e nordeste tem poucas concessionárias e acabei não fazendo revisões na concessionária.
Como não fiz as 2 últimas revisões na Concessionária perdi a garantia e o custo para arrumar o carro já passa dos R$ 30.000,00.
Meu irmão comprou uma do mesmo ano e modelo e já começa apresentar sinais.
Não indico a ninguém comprar esse novo modelo.
Luiz SP.

Reply

Deixe um comentário!