Veículos elétricos e a hidrogênio podem poluir mais que modelos diesel

por Blog do Caminhoneiro

A Organização Mundial do Transporte (IRU) publicou um estudo que mostra que o uso de eletricidade e hidrogênio no setor de transporte rodoviário de cargas pode não ser tão limpo como é divulgado. A entidade realizou um estudo completo, desde a produção do hidrogênio, geração de eletricidade e da extração do petróleo, até que esses combustíveis cheguem às rodas dos veículos.

A IRU destacou que realizar a medição das emissões de CO2 no transporte rodoviário de cargas apenas na saída do escapamento dos veículos poderá dobrar as emissões de carbono em cenário futuros.

De acordo com o estudo, apesar dos veículos elétricos e a hidrogênio não emitirem poluentes diretamente, durante seu uso, a produção desses combustíveis é mais poluente que o diesel. Levando em consideração a produção de diesel, eletricidade e hidrogênio nos Estados Unidos, China e Europa, o quadro apresentado é desanimador: As emissões de CO2 para produção de eletricidade até o uso no veículo são 45% maiores que as do diesel, e no caso do hidrogênio, as emissões totais chegam a ser 72% maiores.

Para elaboração do estudo foram usadas como base as matrizes energéticas atuais, com os seus sistemas de produção de combustíveis usados hoje em dia.

A IRU ressalta que realizar a transição para combustíveis como eletricidade e hidrogênio, sem que as fontes desses combustíveis sejam de baixas ou de zero emissões de carbono irá aumentar as emissões de CO2 na atmosfera em até 700 milhões de toneladas por ano.

“A descarbonização do transporte comercial é um trabalho enorme e caro. A combinação certa de incentivos e investimento para acelerar alternativas de baixas emissões de carbono ou zero emissões para atender às metas de 2030 e 2050 só pode ser alcançada se o CO2 for contabilizado corretamente”, disse o secretário-geral da IRU, Umberto de Pretto.

Para o secretário, medir as emissões do tanque à roda dos veículos é tendencioso, sendo na verdade necessário analisar as emissões do “poço à roda”, para evitar distorções políticas na redução das emissões no transporte rodoviário.

“Os operadores de transporte rodoviário precisam de certezas, à medida que continuam trabalhando no enorme desafio de descarbonizar efetivamente suas frotas e operações, e não podem ter opções de fantasia inviáveis”, acrescentou.

A IRU também pede ao legisladores que passem a usar o padrão mais abrangente de análise de emissões para avaliar e planejar investimentos e incentivos de descarbonização. Isso permitirá aos operadores de transporte rodoviário comercial uma redução de emissões mais eficaz e rápida.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

COMENTAR

Artigos relacionados

9 comentários

White 13/04/2021 - 15:51

Como a farsa do aquecimento global tem tomado força no planeta, nós criamos a falsa doença de que o CO2 é um gás poluente e vendemos a cura, compre meus produtos para cuidar do planeta, enquanto isso a maioria da população ainda não tem acesso as necessidades básicas para sobreviver de maneira digna, isso sim é fugir dos reais problemas, ser humano em nada influencia o clima no planeta mas esses canalhas enganam as pessoas mais desinformadas colocando medo na população e assim conseguem frear o desenvolvimento de países emergentes proibindo o uso de combustíveis mais baratos e mantendo países iguais ao Brasil como colônias deles, que nojo desses malditos países ricos, e os coitados dos países não desenvolvidos ainda se sentem agradecidos por contribuir com a diminuição da poluição como se a atividade humana tivesse alguma influência no clima.

Reply
KaDuCS 06/04/2021 - 19:25

Quanta bobagem! Materiazinha tendenciosa e incorreta. Não sei se de propósito ou não, mas o próprio autor descreve que as projeções são feitas sob os parâmetros atuais. Mas nem assim creio ser honesta. É óbvio que nos demais países (EUA, UE, China e restante da Ásia) há um grande movimento para descarbonizar o sistema de geração elétrica. Os males citados na reportagem é o óbvio, que está sendo tratado. Espanta-me que essa bobageira toda seja publicada num “blog do caminhoneiro”. Será que eles estão com medo de perder seus empregos? Ué, mas nessa transição os caminhões elétricos e a H2 irão necessitar de condutores. Ah… mas é aí a questão, né? Vão perder o protagonismo.
Um conselho, não façam como os taxistas q perderam o bonde da historia e agora só lhes resta chorar. A eletrificação do transporte virá de um jeito ou de outro. E com ela os avanços, os tais veículos autonômos… mesmo num país que gosta do atraso como o nosso.

Reply
ADALBERTO MALUF 05/04/2021 - 15:50

Mais um “estudo” distorcido dos lobistas das indústrias do atraso. Essa IRU não é nenhuma Organização Mundial do Transporte e sim uma União Internacional de Empresas de Transporte Rodoviário. Porquê omitiram seu nome real? E quem patrocina essa União? Quanta distorção e fake news…

Reply
Flávia Consoni 05/04/2021 - 15:24

Seria possível informar qual foi o estudo aqui referido, organizado pela Organização Mundial do Transporte (IRU)? Titulo e como obter acesso a ele?

Reply
Gato Preto 05/04/2021 - 11:30

Já foram divulgadas várias pesquisas em relação ao etanol, que muitos pensam ser menos poluentes que o combustível fosseis;
Para a produção de um litro de etanol, geram em média mais de 10 litros de vinhoto que é altamente nocivo ao meio ambiente.
Ainda tem a geração de CO2 na indústria que processa os vegetais derivantes do etanol.
Sendo assim, creio não existe combustível limpo, pois até a energia hidroelétrica que causa descontrole ambiental ainda gera calor que é adicionado na atmosfera quando a energia elétrica é transformada em energia mecânica!
Sentimentos de um leigo…

Reply
Efraim 03/04/2021 - 08:36

Essa matéria vale só para os Estados Unidos e Europa onde a maior parte da produção de energia elétrica é feita através de queima de combustíveis fósseis ( como o diesel e o carvão mineral). Se o Hidrogênio for produzido no Brasil onde mais de 80% da energia elétrica é gerada por fontes que não emitem CO2 na atmosfera, o uso de veículos elétricos que usam células a hidrogênio é uma alternativa excelente ao diesel.

Reply
ANTONIO A M PAULA 03/04/2021 - 08:35

Só pode ser matéria paga por aqueles que tem interesse e manter o mundo submisso aos gigantes do petróleo.
Desde quando a captação de energia de fontes limpas e renováveis (Eólica, Solar, Marés etc..) gera mais poluição do que a produção e queima do petróleo???

Reply
Josiel 02/04/2021 - 22:38

Isso so pode ser piada ne?? Eletricidade poluindo mais q combustível?? A claro!!! Ja ia esquecendo, estamos no brasil..

Reply
Rodrigo 01/04/2021 - 19:49

É o que venho alertando há muito tempo! Elétrico é tiro no pé, e hidrogênio ainda é muito caro.

A solução definitiva é a evolução dos motores e principalmente dos sistemas de catalisacao.

Reply

Deixe sua opinião sobre o assunto!